Yulia Skripal faz primeira declaração após envenenamento

Comunicado surge horas depois da televisão pública russa divulgar uma alegada conversa telefónica com uma prima que vive na Rússia

A polícia britânica emitiu, esta quinta-feira, uma declaração em nome de Yulia Skripal, a filha do espião russo envenenado no início de março, em Salisbury, no Reino Unido. A jovem, de 33 anos, também foi vítima do ataque com um agente nervoso que o Governo britânico afirma ter sido encomendado por Vladimir Putin. Yulia Skripal disse estar a ficar cada vez mais forte e pediu privacidade durante o período de convalescência.

A declaração surge horas depois da televisão pública russa difundir um registo áudio apresentado como uma conversa telefónica entre Yulia Skripal e a sua prima Viktoria, à qual alegadamente diz que "a saúde de todos está normal, não existe nada de irreversível. Tudo vai correr bem".

No comunicado emitido pelas autoridades do Reino Unido, a jovem diz que se sente a cada dia melhor.

"Acordei há uma semana e sinto-me feliz por poder dizer que as minhas forças crescem diariamente", lê-se na declaração.

"Tenho muitas pessoas a quem agradecer pela minha recuperação e gostaria de mencionar especialmente as pessoas de Salisbury que vieram em meu auxílio quando eu e o meu pai estávamos incapacitados", disse a jovem no comunicado, referindo-se a quem encontrou pai e filha num banco de jardim, inanimados.

Yulia Skripal agradeceu ainda à "equipa do Hospital Distrital de Salisbury pelo cuidado e profissionalismo". E fez um pedido: "Tenho a certeza que entendem que todo este episódio é, de alguma forma, desorientador, e espero que todos respeitem a minha privacidade a da minha família durante o período de convalescença".

Pai e filha encontram-se ainda no hospital, embora estejam a recuperar, segundo a BBC.

O registo da suposta conversa telefónica entre Yulia Skripal e a sua prima Viktoria foi obtido, segundo os apresentadores do programa, através desta última, embora tenham reconhecido que não podiam comprovar a autenticidade da gravação.

Nesta breve conversa em russo difundida na edição do programa "60 minutos" na cadeia televisiva Rossiya 1, quem é apresentada como Yuila Skripal exprime-se de forma muito desenvolta, afirmando que ela e o seu pai estão em fase de recuperação e que poderá deixar o hospital em breve.

"Está tudo bem, tudo pode ser resolvido, estamos todos vivos e em restabelecimento", declara a voz apresentada como Yuila, acrescentando que o seu pai "está a preparar-se para descansar, para dormir".

"A saúde de todos está normal, não existe nada de irreversível. Tudo vai correr bem", prossegue.

O hospital onde os Skripal estão internados indicou que o estado de Yulia "melhora rapidamente" e que "já não se encontra em estado crítico", ao contrário de seu pai, que permanece em estado "estável".

O envenenamento do ex-espião duplo russo Serguei Skripal e de sua filha a 4 de março, em solo britânico, provocou uma das piores crises nas relações entre a Rússia e o ocidente desde a Guerra fria e conduziu a uma vaga histórica de expulsões recíprocas de diplomatas.

Londres acusa Moscovo de envolvimento neste envenenamento através da utilização de um agente neurotóxico, enquanto a Rússia desmente as acusações e denuncia uma "provocação" e uma "campanha anti-russa".

Ler mais

Exclusivos