Varoufakis saiu caro às finanças da cidade de Barcelona

O alojamento, em hotéis de luxo, para o ex-ministro grego das Finanças e para a sua mulher custou à autarquia 1200 euros

Yanis Varoufakis esteve em Barcelona para participar numa conferência organizada pela câmara municipal, que teve lugar a 15 de outubro de 2015. Segundo foi ontem revelado por Carina Mejías, a líder municipal do Ciudadanos, a presença do ex-ministro grego das Finanças - que o jornal ABC apelida de "apóstolo económico da nova esquerda" e de "carrasco da troika" - saiu cara às contas públicas da cidade.

Entre alojamento, bilhetes de avião e honorários, a autarquia desembolsou 4100 euros pela participação do político helénico num ciclo de debates dedicados a refletir sobre a Europa. A polémica estalou agora nas mãos da presidente da câmara Ada Colau - que tomou posse em junho de 2015 -, eleita pela coligação Barcelona en Comú, da qual fazem parte, entre outras forças políticas, o Podemos e a Esquerda Unida.

Colau defendeu-se argumentando que a participação de Varoufakis foi organizada quando o presidente da câmara era ainda o seu antecessor Xavier Trias (Convergência Democrática da Catalunha) e que os hotéis foram escolhidos de forma a garantir privacidade ao político. As faturas que Carina Mejías trouxe a público mostram que as duas primeiras noites, no Mercer Hotel de Barcelona, custaram 895 euros aos cofres da cidade e a terceira, no Hotel Neri, 310 euros.

A autarca atacou o Ciudadanos, responsável pela fuga de informação, dizendo tratar-se de um aproveitamento próprio do momento político que se vive em Espanha. "Esta polémica aparece porque começou a campanha eleitoral e o Ciudadanos não vê por onde poderá pegar", enfatizou Ada Colau.

Ler mais

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...