Tufão Jebi causou seis mortos no Japão

Há ainda 170 feridos a registar, um deles em estado crítico

O tufão Jebi, considerado o mais violento a atingir diretamente o Japão em 25 anos, causou esta terça-feira seis mortos no oeste do arquipélago, informou a televisão pública NHK.

Segundo a mesma fonte, 170 pessoas ficaram feridas, encontrando-se uma outra em estado crítico.

A passagem do ciclone trouxe chuvas torrenciais e ventos fortes, com rajadas que atingiram nalguns locais os 220 quilómetros/hora.

Mais de 600 voos foram cancelados hoje no Japão, com a aproximação do tufão Jebi, tendo os serviços de comboio locais e as linhas de alta velocidade, como a rota Osaka-Hiroshima, sido suspensos.

Algumas empresas recomendaram que os funcionários trabalhem hoje em casa, as escolas encerraram e a atividade comercial foi interrompida, relatou a agência de notícias japonesa Kyodo.

O Jebi, o vigésimo primeiro tufão desta temporada no Pacífico, foi catalogado como "muito forte" pela Agência Meteorológica do Japão.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.