Trump perguntou a criança de sete anos: "Ainda acreditas no Pai Natal?"

Coleman ligou para a Casa Branca na véspera de Natal por acreditar que teria acesso à Norad, a agência que "controla" os movimentos do Pai Natal no mundo inteiro. Mas o presidente Trump acabou com a magia do Natal.

Na sala de jantar da Casa Branca, Melania e Donald decidiram passar a véspera de Natal a atender telefonemas de crianças para lhes desejar um bom Natal. As crianças que ligaram para o presidente achavam que iriam ter acesso à Norad, a Agência Governamental de Defesa Aeroespacial norte-americana que, na altura do Natal, monitoriza todos os movimentos do Pai Natal no mundo inteiro - e oferece em tempo real, aos mais pequenos, a rota do portador dos presentes - , mas tal não aconteceu. E algumas ouviram o que não estavam à espera:

- "Olá, és tu Coleman?", perguntava o presidente Trump.

- "Sim", responde a criança de sete anos.

- "Feliz Natal. Como vais? Quantos anos tens? Está tudo bem na escola? Ainda acreditas no Pai Natal?", perguntou o presidente. E acrescentou: "Aos sete anos já é raro, certo?".

A resposta que Coleman deu a Donald Trump não é clara. As perguntas que Trump fez a seguir também não. Mas a magia na véspera de Natal, para a criança que ansiava ter acesso à Norad para falar com o Pai Natal, terminou certamente ali.

Mais comedida foi Melania, que disse sempre às crianças com quem falou: "Espero que os teus sonhos se realizem." Segundo conta Kevin Diaz, repórter na Casa Branca do jornal Houston Chronicle, depois da situação com Coleman não houve mais incidentes.

O que os conselheiros de Trump esperavam que fosse uma ação natalícia, tornou-se em mais um dos momentos virais do presidente Trump.

Ler mais

Exclusivos