Ex-jornalista da Fox News é a escolha de Trump para a ONU

Heather Nauert é a atual porta-voz do Departamento de Estado.

O presidente norte-americano, Donald Trump, escolheu a porta-voz do Departamento de Estado, Heather Nauert, para embaixadora das Nações Unidas. Segundo noticiou a agência de informação Bloomberg, que cita três fontes, a ex-jornalista irá ocupar o cargo substituindo Nikki Haley.

Heather Ann Nauert, de 48 anos, é uma ex-jornalista norte-americana, ex-correspondente da ABC News e apresentadora de notícias na Fox News, que trabalhava atualmente como porta-voz da diplomacia norte-americana desde abril de 2017, junto do secretário de Estado, Mike Pompeo.

A confirmar-se, a escolha de Nauert, antiga apresentadora do programa Fox & Friends, tantas vezes elogiado e cujas notícias são frequentemente retweetadas pelo presidente, as críticas não se deverão fazer esperar. Tudo porque a ex-jornalista não tinha qualquer experiência de política externa até assumir o cargo no Departamento de Estado.

A jornalista irá ocupar o cargo de embaixadora nas Nações Unidas, depois da saída de Nikki Haley. A ex-governadora da Carolina do Sul renunciou em outubro, após ocupar o cargo durante 18 meses. Apesar de não ter apresentado razões para a sua demissão, Haley veio entretanto garantir que não teve nada a ver com uma eventual candidatura às presidenciais de 2020.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Viriato Soromenho Marques

Quem ameaça a União Europeia?

Em 2017, os gastos com a defesa nos países da União Europeia tiveram um aumento superior a 3% relativamente ao ano anterior. Mesmo em 2016, os gastos militares da UE totalizaram 200 mil milhões de euros (1,3% do PIB, ou o dobro do investimento em proteção ambiental). Em termos comparativos, e deixando de lado os EUA - que são de um outro planeta em matéria de defesa (o gasto dos EUA é superior à soma da despesa dos sete países que se lhe seguem) -, a despesa da UE em 2016 foi superior à da China (189 mil milhões de euros) e mais de três vezes a despesa da Rússia (60 mil milhões, valor, aliás, que em 2017 caiu 20%). O que significa então todo este alarido com a necessidade de aumentar o esforço na defesa europeia?