Trump aconselhou May a processar UE. E revelou conversa com a rainha

As réplicas do sismo Donald Trump ainda se fazem sentir no Reino Unido, à medida que se revelam pormenores. É o caso das suas conversas com Theresa May e com Isabel II.

A primeira-ministra britânica anunciou qual foi o conselho "brutal" que Donald Trump lhe dera sobre a forma como lidar com o brexit. Em entrevista ao programa da BBC The Andrew Marr Show, Theresa May disse que o presidente norte-americano aconselhou-a a "processar a União Europeia", ao que a governante conservadora respondeu: "Na realidade vamos negociar."

Na entrevista que Donald Trump deu a Piers Morgan e publicada no Mail on Sunday, na qual o presidente anunciou que vai recandidatar-se em 2020, revelou como foi o seu encontro com a rainha e o que esta pensa do brexit.
"Enquanto eu caminhava dizia [para Melania] 'podes imaginar a minha mãe a ver esta cena? Windsor. Castelo de Windsor'. E foi lindo, foi realmente lindo, mas a rainha é maravilhosa. Ela é tão astuta, tão sensanta, tão linda. De perto, vê-se que ela é tão bonita. É uma pessoa muito especial."

Além das impressões pessoais, Trump revelou sobre o que conversaram: os presidentes que a rainha conheceu, a mãe de Trump, e a saída do Reino Unido da União Europeia.
"Ela disse - e está certa - que é um problema muito complexo, eu acho que ninguém tinha ideia de quão complexo isso seria... Toda a gente pensou que seria 'Oh, é simples, juntamo-nos ou não nos juntamos, ou vamos ver o que acontece..."

Questionado sobre se Isabel II deu alguma indicação do que pensa sobre o tema, Trump respondeu: "Bem, eu não posso dizer, sabe que eu ouvi de muitas pessoas que simplesmente não se fala sobre as conversas que se têm sobre a rainha, certo?"

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.