Tiroteio num hospital em Chicago faz três mortos. Atirador morreu

O Mercy Hospital foi evacuado pela polícia depois do tiroteio onde foram mortos um polícia, uma médica e uma assistente farmacêutica morreram. O atirador também está morto, embora não se saiba se morreu na troca de tiros ou se terá cometido suicídio

O tiroteio terá durado meia hora. Um agente da polícia, Samuel Jimenez, uma médica, Tamara O'Neal, e uma assistente farmacêutica morreram após este tiroteio no Mercy Hospital em Chicago, que começou esta segunda-feira, às 15.00, hora local. O atirador também morreu, embora não se saiba se foi morto na troca de tiros ou se se terá suicidado, afirma a BBC.

"Chicago perdeu uma médica, uma assistente farmacêutica e um agente da polícia. Todos estavam a fazer aquilo que amavam", disse o mayor de Chicago Rahm Emanuel.

Uma testemunha, no local, James Gray, garante ter visto pelo menos uma mulher baleada perto do hospital. Gray afirmou à NBC ter testemunhado uma discussão entre essa mulher e um homem, que a terá baleado. Segundo a ABC seria uma médica que se preparava para entrar no hospital quando se cruzou com o seu ex-namorado no parque de estacionamento do hospital. Ele tê-la-á baleado e de seguida entrou no hospital, a disparar.

"Quando entrou no hospital começou a disparar aleatoriamente", afirma Gray. "Parecia que fazia mira ao acaso." O hospital foi rapidamente evacuado quando a polícia chegou ao local e dezenas de pacientes conseguiram ficar a salvo. A polícia pediu ainda pelo Twitter que as pessoas evitassem o local.

Notícia atualizada às 8.10: número de mortos sobe para três, além do atirador

Ler mais

Exclusivos

Premium

Viriato Soromenho Marques

Quem ameaça a União Europeia?

Em 2017, os gastos com a defesa nos países da União Europeia tiveram um aumento superior a 3% relativamente ao ano anterior. Mesmo em 2016, os gastos militares da UE totalizaram 200 mil milhões de euros (1,3% do PIB, ou o dobro do investimento em proteção ambiental). Em termos comparativos, e deixando de lado os EUA - que são de um outro planeta em matéria de defesa (o gasto dos EUA é superior à soma da despesa dos sete países que se lhe seguem) -, a despesa da UE em 2016 foi superior à da China (189 mil milhões de euros) e mais de três vezes a despesa da Rússia (60 mil milhões, valor, aliás, que em 2017 caiu 20%). O que significa então todo este alarido com a necessidade de aumentar o esforço na defesa europeia?