Soraya Sáenz de Santamaría deixa a política

Ex-vice-primeira-ministra espanhola, Soraya Sáenz de Santamaría, comunicou ao líder do PP, Pablo Casado, a sua "vontade de deixar a atividade política e começar uma nova etapa".

Após "profunda reflexão" e convencida de que "é o melhor para a nova direção do PP", para sua família e para si mesma, Soraya Sáenz de Santamaría anunciou nesta segunda-feira que deixa a política ativa.

A ex-vice-primeira-ministra de Mariano Rajoy comunicou a sua decisão ao novo líder do PP, Pablo Casado, contra o qual perdeu a corrida à liderança desta formação conservadora em julho deste ano.

Santamaría, de 47 anos, comunicou a Casado que abandona igualmente o lugar de deputada no Parlamento espanhol, o qual ocupa desde 2004. Entre 2008 e 2011, foi porta-voz do PP no Parlamento e, depois disso, vice-primeira-ministra de Rajoy durante o tempo em que este esteve no governo.

Rajoy e o PP foram arredados do poder em junho, depois de Pedro Sánchez, do PSOE, ter conseguido aprovar, com o apoio de partidos regionais, uma moção de censura contra os conservadores.

Ler mais

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.