Seis pessoas feridas durante manifestação da extrema direita na Alemanha

Os militantes de extrema-direita protestavam na sequência da morte de um homem no passado domingo. A manifestação ocorreu em frente ao busto de Karl Marx, em Chemnitz.

Pelo menos seis pessoas ficaram feridas depois de garrafas e explosivos terem sido lançados durante um protesto de extrema-direita na cidade alemã de Chemnitz.

A agência de notícias alemã DPA noticiou hoje que a polícia de Chemnitz reconheceu ter mobilizado poucos agentes para a manifestação na segunda-feira à noite, que resultou em confrontos entre neonazis e contramanifestantes de esquerda.

Imagens mostram manifestantes de extrema-direita a tentarem romper as barreiras da polícia na segunda-feira à noite, fazendo saudações nazis e cantando "a resistência nacional está a marchar aqui".

De acordo com os meios de comunicação locais, ouviram-se ainda gritos contra Angela Merkel, nomeadamente de simpatizantes do partido alemão de extrema-direita, Alternativa para a Alemanha (AfD). Os manifestantes pediam que o Governo alemão garanta "a segurança de seus cidadãos", após o assassínio de um alemão de 35 anos, alegadamente cometido por dois jovens estrangeiros, um sírio de 22 anos e um iraquiano, de 21. Dois homens ficaram ainda feridos.

Steffen Seibert, porta-voz de Angela Merkel, afirmou que "é importante para o Governo, para todos os democratas eleitos e, na minha opinião, para uma grande maioria da população, deixar claro que tais encontros ilegais e caças coletivas visando pessoas de aparência ou origem diferentes, ou mesmo tentativas de espalhar o ódio nas ruas não têm lugar no nosso país".

Ler mais

Exclusivos