Seis homens violaram uma jovem de 18 anos e depois atiraram-lhe 17 euros

Três anos depois do caso da Manada, que bastante controvérsia suscitou em Espanha, violações em grupo repetem-se no país. Desta vez foi em Bilbau, no País Basco, num parque. No primeiro semestre deste ano, já houve 42 casos de agressão sexual ou violação em grupo em Espanha

Seis marroquinos e argelinos, com idades entre os 18 e os 36 anos, foram detidos pela polícia basca, acusados da violação em grupo de uma jovem de 18 anos, na quinta-feira à noite, no Parque Etxebarria, em Bilbau.

Tudo aconteceu, a 1 de agosto, por volta das 23.30, (22.30, em Lisboa). De acordo com fontes do Departamento de Segurança, citadas pela agência espanhola Europa Press, a jovem tinha marcado através das redes sociais um encontro com apenas um dos homens e, quando viu que se tratava de um grupo, tentou fugir.

Sentindo-se exposta, relata por sua vez o Diario de Navarra, a rapariga começou a correr, mas um dos indivíduos correu atrás dela e obrigou-a a ir com ele até ao sítio onde estava o resto do grupo.

Ameaçada com uma pistola, refere o mesmo jornal, que cita relatos posteriormente feitos pela jovem, a vítima foi arrastada para um lugar ermo onde os magrebinos sem abrigo tinham montado uma espécie de acampamento. Em seguida, foi violada pelos seis e, quando terminaram, atiraram-lhe 17 euros e fugiram. Apesar dos ferimentos que sofreu, a jovem conseguiu chegar até a casa e, depois de contar à mãe o sucedido, ambas foram ao hospital.

À Ertzaintza, polícia autonómica do País Basco, a jovem de 18 anos disse não conhecer nenhum dos atacantes, mas através de uma tatuagem conseguiu identificar um deles. E foi quanto bastou para a polícia. Em menos de cinco horas, as forças de segurança localizaram e detiveram os seis, estando os indivíduos agora às ordenas da justiça.

Este foi mais um dos vários casos de violação coletiva em Espanha depois do da chamada Manada em 2016. Nesse ano, durante as Festas de São Firmino, em Pamplona, uma jovem foi violada por um grupo de cinco homens. A violação foi filmada e partilhada por um dos agressores. Os atacantes foram identificados também graças a uma tatuagem que tinha um deles. Após muita polémica judicial, muitas notícias e manifestações de protesto nas ruas, o Supremo Tribunal considerou em junho já deste ano que houve violação coletiva e condenou os cinco homens a 15 anos de prisão.

Relativo a 2016 também é o caso da chamada Manada de Manresa, onde em outubro desse ano seis homens foram acusados de violar uma menor de 14 anos de idade numa festa numa fábrica abandonada. Segundo a acusação, os seis homens violaram a jovem em turnos de 15 minutos, ao passo que um sétimo apenas presenciou a cena, masturbando-se. Os atacantes tinham, segundo o El Mundo, entre 19 e 39 anos de idade e, segundo o El Pais, a procuradoria pede penas de prisão entre os 10 e os 12 anos por delito de abusos sexuais.

Na mesma localidade de Manresa, já este ano, em julho, os Mossos d'Esquadra (polícia autonómica da Catalunha) detiveram quatro homens com idades entre os 18 e os 25 anos acusados de violação por uma jovem de 17 anos. O incidente ocorreu durante a madrugada numa casa no centro histórico daquele município da província de Barcelona. Segundo relatos feitos pela vítima à polícia, citados pelo El País, a jovem e um dos agressores conheceram-se na noite e depois foram para uma casa onde tomaram álcool e estupefacientes. Em seguida foi abusada sexualmente.

De acordo com o El Periódico, as violações em grupo têm-se multiplicado em Espanha e, no primeiro semestre deste ano, houve casos pelo menos todos os meses. São já, relata o jornal, 42 os casos. "Até agora estávamos habituados a violadores solitários - o violador do Eixample, o das pirâmides, o do elevador... agora, como se de uma moda se tratasse, parece que os violadores se agrupam e se dispõem a atacar com os seus amigos: três jovens presos por violar em Mataró uma rapariga de 17 anos deficiente; em Cádiz seis menores detidos por abusar de duas raparigas de 12 e 13 anos; quatro homens acusados de violar uma turista na Gran Canária; outros dez detidos por violar três raparigas de 14, 15 e 17 anos em Alicante...Este ano registaram-se casos toso os meses do primeiro semestre: são já pelo menos 42", escreve Carmen Domingo, no El Periodico.

Outros dados, citados pelo site da Antena 3, referem que, desde 2016, até ao dia 8 do mês passado de julho, houve 134 casos de agressão sexual ou de violação em grupo em Espanha: 18 em 2016, 14 em 2017, 59 em 2018 e 42 no primeiro semestre de 2016. 60,8% das agressões dizem respeito a violações consumadas.

Exclusivos