Santos Silva exige acesso imediato a portugueses presos na Venezuela

Ministro dos Negócios Estrangeiros português reuniu-se esta segunda-feira com o seu homólogo venezuelano à margem da Assembleia Geral das Nações Unidas em Nova Iorque

Augusto Santos Silva reuniu-se esta segunda-feira com o seu homólogo venezuelano Jorge Arreaza à margem da Assembleia Geral da ONU. Em cima da mesa a detenção de portugueses e lusodescendentes gerentes de supermercados na Venezuela pelo regime de Nicolás Maduro.

"Foi uma conversa muito dura. Não foi um encontro diplomático normal. Pedi o acesso imediato aos detidos por partes das autoridades consulares e da nossa representação diplomática em Caracas", disse aos jornalistas, em Nova Iorque, o ministro dos Negócios Estrangeiros português, depois de terminar o encontro com o ministro das Relações Exteriores da Venezuela.

Na madrugada desta segunda-feira, o chefe da diplomacia portuguesa, classificara a detenção dos donos dos supermercados como "uma ofensiva das autoridades venezuelanas contra o setor da pequena e média distribuição".

Santos Silva anunciou que o secretário de Estado das Comunidades Portugueses, José Luís Carneiro, no início de outubro "para reunir com as comunidades e com os empresários portugueses e para, in loco, aprofundar o conhecimento e a nossa ação nesta situação".

CLIQUE AQUI PARA ACEDER AO ESPECIAL DN SOBRE A CRISE NA VENEZUELA:

Na sexta-feira passada, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou a detenção de 34 gerentes de supermercados por violação da lei. 10 portugueses detidos ficaram em prisão preventiva, acusados de não respeitarem o preço máximo de venda ao público dos produtos, de açambarcarem e de modificarem os preços de venda, além de terem vazias as prateleiras de carne, frango, arroz e massa. Incorrem numa pena de prisão que pode ir dos dois aos 10 anos de cadeia.

"Várias centenas de milhar" de portugueses e lusodescendentes vivem na Venezuela, referiu Santos Silva, realçando que enfrentam problemas económicos e sociais muito graves, com "problemas de abastecimento básicos de alimentos ou medicamentos".

Ler mais

Exclusivos

Premium

educação

O que há de fascinante na Matemática que os fez segui-la

Para Henrique e Rafael, os números chegaram antes das letras e, por isso, decidiram que era Matemática que seguiriam na universidade, como alunos do Instituto Superior Técnico de Lisboa. No dia em que milhares de alunos realizam o exame de Matemática A, estes jovens mostram como uma área com tão fracos resultados escolares pode, afinal, ser entusiasmante.