Reino Unido pode impedir regresso de adolescente britânica que se juntou ao ISIS

Shamina está grávida de nove meses, mas poderá ver ser-lhe retirada a cidadania britânica ou poderá mesmo ser expulsa do país onde nasceu.

Shamima Begum, de 19 anos, a britânica que fugiu para a Síria para se alistar no Estado Islâmico e que pediu para voltar para o Reino Unido por estar grávida e já ter perdido os dois primeiros filhos, pode mesmo ser impedida de regressar ao país. "A minha mensagem é clara", disse Said Javid, secretário do Interior ao Times. "Se alguém apoiou organizações terroristas no exterior eu não hesitarei em impedir o seu regresso".

Sobre o caso de Begum, que disse não estar arrependida de se ter juntado ao ISIS, Javid alertou que caso a jovem consiga voltar, poderá ser processada. " Deve estar preparada para ser interrogada, investigada e possivelmente processada", disse o responsável."Devemos lembrar-nos que aqueles que deixaram a Grã-Bretanha para se unirem ao Daesh estavam cheios de ódio pelo nosso país", acrescentou.

Said Javid explicou que existem várias medidas disponíveis para "impedir que as pessoas que representam uma séria ameaça regressem ao Reino Unido". Shamina poderá ver ser-lhe retirada a cidadania britânica ou poderá mesmo ser expulsa do país onde nasceu.

Os responsáveis pela segurança de Londres também podem usar em relação a Shamina Begum a medida com o nome de "Ordem de Exclusão Temporária", uma ferramenta legal que impede um cidadão britânico de voltar para casa até que tenha concordado com a investigação, a monitorização e, se necessário, a desradicalização.

De acordo com a BBC, o Reino Unido pode ser obrigado a aceitar Begum se esta não se tornou cidadã de outro país, uma vez que de acordo com a lei internacional não é possível uma pessoa ficar sem cidadania.

Shamima Begum é uma das três adolescentes - juntamente com Amira Abase e Kadiza Sultana - que desapareceram das suas casas em Londres para se juntarem ao Estado Islâmico, em 2015.

Grávida de nove meses e sem o marido, depois de este ter sido capturado por um grupo de combatentes sírios, a jovem de 19 anos encontra-se num campo de refugiados entre milhares de pessoas e pode dar à luz "a qualquer momento".

Ler mais

Exclusivos