RD Congo confirma dois casos de ébola, mais 10 casos suspeitos

Estes novos casos surgem cerca de um anos após o ultimo surto no país

A República Democrática do Congo confirmou dois casos de Ébola na cidade de Bikoro, no noroeste do país, e pelo menos mais 10 casos suspeitos, informou o chefe do instituto nacional de investigação biológica, Jean Jack Muyembe.

É a nona vez que há registo de casos de ébola no país que deu nome ao vírus descoberto nos anos 70 do século passado - o nome vem do rio Ébola.

Estes novos casos surgem cerca de um anos após o ultimo surto, no qual oito pessoas foram infetadas e quatro morreram.

Os cientistas acreditam que o ébola é capaz de viajar grandes distâncias, levado por morcegos, que são hospedeiros e não morrem do vírus. è capaz de infetar depois outras espécies, chegando aos humanos através da cadeia alimentar.

O vasto território do Congo, com muitos locais remotos e isolados, dá alguma vantagem às autoridades no combate ao vírus.

Na África Ocidental, um surto de Ébola que terminou há dois anos matou mais de 11 300 pessoas. O surto atravessou áreas mais densamente povoadas da ​​​​​​​Guiné, Serra Leoa e Libéria, antes de finalmente ser contido.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.