Quem ganhou o primeiro debate em Espanha? Hoje há novo embate

Depois do debate da TVE, os quatro líderes voltam a enfrentar-se diante das câmaras de televisão na Atresmedia.

O primeiro debate a quatro entre os principais candidatos às eleições espanholas, na TVE, foi seguido por 8,9 milhões de espectadores, mas terminou sem um claro vencedor. Catalunha e acusações de mentiras de parte a parte dominaram o embate entre Pedro Sánchez (PSOE), Pablo Casado (PP), Alberto Rivera (Ciudadanos) e Pablo Iglesias (Unidas Podemos).

A leitura dos jornais espanhóis não ajuda a desfazer o empate no confronto a quatro. O El País, de esquerda, titula "Sánchez salva o debate e Rivera não consegue impor o tema catalão". Já o El Mundo, de direita, escreve na sua primeira página: "Rivera desafia Casado e ambos batem um Sánchez desorientado." O ABC, também de direita e monárquico, vai no mesmo sentido "Sánchez naufraga no primeiro assalto televisivo".

A questão independentista catalã ocupou uma parte importante das discussões, com Sánchez e Iglesias a defenderem a atual política de diálogo e o primeiro-ministro a rejeitar qualquer hipótese de referendo. Já Casado e Rivera (que mostrou uma foto do encontro entre o primeiro-ministro e o presidente da Generalitat, Quim Torra) asseguraram que, se ganharem, o governo central irá voltar a intervir na Catalunha, através do artigo 155.º da Constituição que suspende a autonomia.

Os dirigentes do PP e do Ciudadanos exigiram ao chefe do governo que esclareça, de uma vez por todas, se pensa atribuir um indulto aos dirigentes independentistas, no caso de estes serem condenados pelo seu envolvimento na tentativa de autodeterminação da Catalunha de 2016. Pedro Sánchez respondeu que a separação de poderes deve ser respeitada e que se deve deixar trabalhar o Tribunal Supremo, que está a julgar os separatistas.

Com mais em risco por estar à frente das sondagens, que mostram uma divisão entre esquerda e direita, Sánchez terá conseguido "sobreviver" ao primeiro ataque, sendo que na oposição Rivera terá estado melhor do que Casado -- que também não escapou aos ataques do líder do Ciudadanos: "Você não é o meu adversário, a mim ninguém me pergunta como a si com quem vou pactuar. Nem os seus eleitores nem os meus vão entender a sua postura", respondeu o líder do PP, ao ser criticado pelos pactos que o seu partido fez no passado com os nacionalistas bascos.

Pablo Iglesias terá aparecido como o menos nervoso dos quatro, menos agressivo que os outros e citando em vários momentos a Constituição espanhola para defender as medidas da coligação Unidas Podemos. Ainda assim, lançou a Sánchez a pergunta sobre um eventual acordo com o Ciudadanos, à semelhança do que tentou fazer em 2016, defendendo que é a "única garantia para que em Espanha se aprovem medidas progressistas".

Sánchez e Pablo Casado acusaram-se mutuamente de "mentir" ao salientarem uma série de sucessos que tiveram as políticas sociais tomadas por executivos dos respetivos partidos ao longo dos últimos anos. Por seu lado, Rivera atacou de forma contundente as políticas dos "velhos partidos" e pediu uma renovação política em Espanha.

O debate foi seguido por 8,9 milhões de espectadores, tendo sido um dos menos seguidos dos últimos tempos. Esta terça-feira à noite, os quatro voltam a enfrentar-se, desta vez na estação privada Atresmedia, a partir das 22.00 (21.00 em Lisboa).

Exclusivos