Presidente de Angola começa visita oficial à Alemanha com foco no investimento económico

Economia, transportes, cultura e energia são algumas das áreas em destaque durante a visita, na qual João Lourenço se vai encontrar com Angela Merkel

O Presidente angolano, João Lourenço, começa hoje uma visita oficial de dois dias à Alemanha, a convite da chanceler alemã Angela Merkel, deslocação encarada com a expectativa de atrair investimento alemão para Angola.

Durante a visita, João Lourenço, que é acompanhado por uma importante delegação empresarial, irá encontrar-se com Merkel e assistirá à abertura do Sétimo Fórum Económico Angola-Alemanha.

Sábado, a propósito da visita oficial de João Lourenço à Alemanha, num comunicado divulgado em Luanda, a missão diplomática germânica em Angola disse que Berlim pretende apoiar Angola na diversificação económica, apostando nas áreas da economia, transportes e cultura.

No documento, a missão diplomática germânica adianta que a energia é outras das áreas em destaque durante a visita, em que serão, paralelamente, assinados vários protocolos de cooperação neste e noutros domínios.

Para Berlim, a visita de João Lourenço, a convite de Angela Merkel, constituirá um "passo importante" para continuar a desenvolver a "parceria abrangente" entre os dois países.

"O Governo alemão está convicto que Angola é um parceiro indispensável em África e no mundo", lê-se no comunicado.

Na agenda, João Lourenço, além de uma reunião de trabalho com Angela Merkel, será recebido pelo seu homólogo alemão, Frank-Walter Steinmeier.

O chefe de Estado angolano vai, também, participar numa conferência económica que tem por objectivo o aprofundamento das relações comerciais entre a Alemanha e Angola.

Trata-se da primeira visita oficial de João Lourenço à Alemanha desde que foi eleito Presidente da República, em agosto do ano passado.

A 10 deste mês, o ministro das Relações Exteriores de Angola, Manuel Augusto, salientou haver "grandes expectativas" dos dois países no fortalecimento das relações económicas e empresarias, "em que há muito potencial por explorar".

Prova disso é o facto de o Presidente de Angola ser acompanhado na visita por uma vasta delegação empresarial angolana, que participará no fórum económico com homólogos alemães, iniciativa que, a partir de agora, será institucionalizada sempre que João Lourenço efetuar uma visita oficial ao estrangeiro.

A ideia, sublinhou Manuel Augusto, é "associar o setor privado às visitas presidenciais" para apresentar o potencial de investimento em Angola a empresários estrangeiros e contribuir para o desenvolvimento do país.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.