Polícias garantem que ratos comeram meia tonelada de marijuana

Meia tonelada de marijuana desapareceu e oito polícias foram detidos. Os agentes garantem que foram os ratos que comeram a droga. Cientistas dizem que é impossível

Qual é a explicação para o desaparecimento de meia tonelada de marijuana de um armazém da polícia argentina? Os ratos comeram a droga. Foi esta a justificação insólita dos oito agentes da autoridade que foram despedidos depois de se perceber que faltavam 540 quilogramas de marijuana do armazém da cidade de Pilar, a 60 quilómetros de Buenos Aires.

Há dois anos, tinham dado entrada no armazém seis toneladas de marijuana, mas após uma auditoria, a polícia argentina percebeu que uma significativa quantidade de droga tinha desaparecido. Faltava meia tonelada.

De acordo com o The Guardian, o principal suspeito é o antigo comissário da polícia na cidade de Pilar, Javier Specia. Ele não terá assinado o inventário relacionado com a apreensão de droga quando deixou o cargo em abril do ano passado. O seu sucessor, o comissário Emilio Portero, foi quem deu pela falta dos 540 quilogramas de marijuana do armazém. Notificou a divisão dos assuntos internos da polícia.

No tribunal, Specia e três dos seus antigos subordinados deram a mesma justificação. Ao juiz disseram: A droga que desapareceu "foi comida por ratos".

A explicação surpreendeu, mas não convenceu. "Especialistas da Universidade de Buenos Aires explicaram que os ratos não podiam ter confundido droga por comida. Se isso tivesse acontecido, tinham encontrado um grande número de cadáveres [de ratos] no armazém", afirmou um porta-voz do juiz. Aliás, "nem um grande número de animais conseguiria comer tanta marijuana", referiram os cientistas forenses, citados pelo The Guardian.

A 4 de maio, os agentes vão regressar ao tribunal para testemunhar. Será que mantêm a mesma versão?

Exclusivos

Premium

Betinho

"NBA? Havia campos que tinham baldes para os jogadores vomitarem"

Nasceu em Cabo Verde (a 2 de maio de 1985), país que deixou aos 16 anos para jogar basquetebol no Barreirense. O talento levou-o até bem perto da NBA, mas foi em Espanha, Andorra e Itália que fez carreira antes de regressar ao Benfica para "festejar no fim". Internacional português desde os Sub-20, disse adeus há seleção há apenas uns meses, para se concentrar na carreira. Tem 34 anos e quer jogar mais três ou quatro ao mais alto nível.