Polícia apreende carregamento de ouro em barco naufragado na Segunda Guerra

O carregamento foi descoberto num barco que viajava perto do atol Ontong Java

A polícia das Ilhas Salomão, no Pacífico Sul, apreendeu um presumível carregamento de ouro que pertencia a um barco que naufragou durante a II Guerra Mundial no atol Ontong Java, informaram hoje os meios de comunicação locais.

A carga, composta por uma centena de lingotes que as autoridades acreditam ser de ouro e outros metais, foi transportada para o Banco Central das Ilhas Salomão para ser guardada nos seus cofres, de acordo com a Radio New Zealand.

Em 2013, a imprensa local informou que o Governo das Ilhas Salomão ultimava preparativos para recuperar um carregamento de lingotes de ouro -- avaliados em mais de 1.500 milhões de dólares (quase 1.400 milhões de euros ao câmbio atual) - nas profundidades das águas que separam Guadalcanal e Malaita.

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.