Polícia moçambicana detém três suspeitos de homicídio de empresário português

Detenções aconteceram durante a madrugada. Suspeitos estão ainda indiciados por outros roubos de viaturas e raptos.

A polícia moçambicana anunciou esta quarta-feira a detenção de três suspeitos do rapto e homicídio de um empresário português cujo corpo foi encontrado no domingo, a cerca de 70 quilómetros de Maputo, anunciou aquela força de segurança.

As detenções foram feitas pelo Serviço Nacional de Investigação Criminal (Sernic), polícia criminal moçambicana, durante a noite de terça-feira, detalhou hoje aquela força de segurança.

Os três detidos estão indiciados por outros roubos de viaturas e raptos na província de Maputo.

Segundo a polícia, os raptores pediram um resgate no valor equivalente a 13 mil euros e uma viatura BMW, que a família do empresário entregou.

Além das detenções, o Sernic anunciou que apreendeu um automóvel e uma viatura de transporte coletivo adquirida com o dinheiro do resgate.

O rapto de José Paulo Antunes Caetano, que vivia há oito em Moçambique onde se dedicava ao aluguer de máquinas para construção, terá acontecido na zona de Mussumbuluco, na Matola, subúrbios da capital, Maputo, perto das instalações da sua empresa.

A polícia só foi alertada no sábado por uma secretária da empresa da vítima, de 51 anos, e o corpo viria a ser encontrado pelas 14:00 de domingo numa pedreira abandonada na zona de Moamba, nas imediações da estrada que liga a capital moçambicana à África do Sul.

Ainda de acordo com a polícia, a vítima apresentava sinais de ter sido atingida com uma faca no pescoço e no braço.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Viriato Soromenho Marques

Quem ameaça a União Europeia?

Em 2017, os gastos com a defesa nos países da União Europeia tiveram um aumento superior a 3% relativamente ao ano anterior. Mesmo em 2016, os gastos militares da UE totalizaram 200 mil milhões de euros (1,3% do PIB, ou o dobro do investimento em proteção ambiental). Em termos comparativos, e deixando de lado os EUA - que são de um outro planeta em matéria de defesa (o gasto dos EUA é superior à soma da despesa dos sete países que se lhe seguem) -, a despesa da UE em 2016 foi superior à da China (189 mil milhões de euros) e mais de três vezes a despesa da Rússia (60 mil milhões, valor, aliás, que em 2017 caiu 20%). O que significa então todo este alarido com a necessidade de aumentar o esforço na defesa europeia?