Papa convoca oração e jejum mundial pela paz a 23 de fevereiro

Francisco convidou outras confissões religiosas a juntarem-se aos católicos

O papa convocou uma jornada mundial de oração e jejum pela paz para 23 de fevereiro, dedicada em especial ao fim da violência na República Democrática do Congo e no Sudão do Sul.

"Perante o trágico arrastamento de situações de conflito em diversas partes do mundo, convido todos os fiéis para uma jornada especial de oração e jejum pela paz, a 23 de fevereiro, sexta-feira da primeira semana da Quaresma", anunciou o papa Francisco.

A convocatória foi lançada hoje depois da oração do Angelus, tendo o papa convidado outras confissões religiosas a juntarem-se aos cristãos nesta oração mundial pela paz.

"Como noutras ocasiões similares, convido os irmãos e irmãs não-católicos e não-cristãos a associarem-se a esta iniciativa, das formas que julgarem mais oportunas, mas todos juntos", acrescentou.

O papa adiantou ainda que o momento será mais do que uma oração, será a oportunidade de cada um dizer "não à violência" considerando que as vitórias obtidas com a violência são falsas vitórias.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.