ONU considera que estatuto de Jerusalém deve ser negociado

O político búlgaro considera que a questão de Jerusalém deve ser "negociado entre israelitas e palestinianos em negociações diretas"

O enviado especial da ONU para o Médio Oriente, Nickolay Mladenov, disse hoje que o futuro estatuto de Jerusalém deve ser assunto de negociações referindo-se à vontade dos Estados Unidos em reconhecer a cidade como capital israelita.

"O futuro de Jerusalém é um assunto que deve ser negociado entre israelitas e palestinianos em negociações diretas", disse Mladenov aos jornalistas.

O enviado especial das Nações Unidas para o Médio Oriente falava das intenções do presidente norte-americano, Donald Trump, durante uma conferência de imprensa realizada hoje em Jerusalém.

De acordo com notícias publicadas na imprensa internacional, Donald Trump deve pronunciar-se às 13:00 (18:00 em Lisboa) sobre o estatuto de Jerusalém.

Responsáveis da administração norte-americana, citados pelas agências noticiosas internacionais, disseram hoje que o Presidente dos Estados Unidos vai reconhecer hoje Jerusalém como capital de Israel, para onde vai transferir a embaixada, atualmente em Telavive.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...