Obama, Clinton e CNN recebem explosivos por correio. FBI investiga

Americanos em alerta geral. Depois de Soros, Obama, Clinton e CNN também recebem explosivos por correio. FBI nega pacote dirigido à Casa Branca. Engenhos já estão a ser investigados. Trump. Pence e Ivanka condenam ataques. Hillary já reagiu e diz estar preocupada

Um engenho explosivo foi encontrado esta manhã por um técnico que rastreava o correio para o escritório de Hillary Clinton, noticiou o jornal New York Times. Depois, também um objeto semelhante foi encontrado na zona dos escritórios de Barack Obama, tendo a CNN avançado que o centro Time Warner, onde está sediada em Nova Iorque, também recebeu pacotes.

Houve relatos de que a própria Casa Branca teria sido alvo de pacotes suspeitos do género, mas tal foi desmentido pelo FBI.

Um porta-voz do Serviço Secreto dos EUA diz que há apenas dois pacotes intercetados pelo FBI - o que foi endereçado a Clinton na instalação de triagem de Nova Iorque e aquele endereçado a Obama em uma instalação de triagem na área de Washington.

Quanto ao dispositivo enviado para a sala de expedição da CNN, a polícia diz que está a ser tratado como se de um verdadeiro explosivo se tratasse. "Autoridades policiais estão a tratar o dispositivo como um explosivo real", refere a estação de televisão norte-americana.

Hillary Clinton, num evento de apoio ao candidatos democratas na Florida para as eleições intercalares, já reagiu à situação, dizendo: "Como americana, estou preocupada", afirmou a candidata derrotada à Casa Branca. "Preocupo-me com o caminho que a nossa nação está a tomar", acrescentou

Semelhante a Soros

Esta manhã dispositivos semelhantes também foram enviados para o escritório do ex-presidente Barack Obama. O funcionário que rastreou o dispositivo confirmou ser semelhante aos encontrados na casa do bilionário filantropo George Soros na segunda-feira.

Os explosivos enviados a Hillary Clinton foram detetados no seu escritório da sua residência no condado de Westchester, no estado de Nova Iorque. Já a encomenda enviada a Obama foi descoberta pelo Secret Service na residência deste em Washington DC.

Em comunicado, o Secret Service, a agência dos serviços secretos americanos que garante a proteção dos presidentes e ex-líderes dos EUA, garantiu que irá recorrer a "todos os recursos federais, estaduais e locais" para investigar o que aconteceu, determinar a origem dos explosivos e quem os enviou.

A casa de George Soros fica num subúrbio ao norte da cidade de Nova Iorque. Esse dispositivo foi construído a partir de um tubo de cerca de 15 centímetros de comprimento preenchido com pó explosivo, e foi "detonado proativamente" por técnicos de esquadrões de bombas, segundo um dos oficiais que participou nesta investigação.

O motivo dos possíveis bombardeiros ou bombardeiros de Soros ainda não está claro, disse um dos funcionários, acrescentando que ainda não houve qualquer reivindicação de responsabilidade.

O centro da Time Warner que integra a estação de televisão CNN começou a ser evacuado desde os escritórios corporativos da WarnerMedia aos escritórios de outros canais da Turner, como a TNT.

O dispositivo enviado para este centro foi construído com um cano e cabos, de acordo com uma fonte da polícia de Nova Iorque. Entretanto, um outro pacote suspeito dirigido à Casa Branca foi intercetado no Joint Base Bolling em Washington, DC.

De acordo com fonte oficial, o dispositivo era também semelhante ao enviado para a casa de Soros, e semelhante aos enviados para os escritórios da casa família Clinton e de Barack Obama, em Washington, DC.

A mesma fonte relevava à CNN, que os dispositivos pareciam ser rudimentares, mas funcionais. O dispositivo endereçado à Casa Branca também continha projéteis.

Trump, Pence e Ivanka reagem

O presidente Donald Trump também já condenou as tentativas de ataque a Barack Obama e a Hillary Clinton. Antes dele, o vice-presidente Mike Pence e a filha Ivanka já tinham condenado tais atos.

Entretanto, fonte policial disse à CNN que o pacote suspeito já foi removido dos escritórios da CNN em Nova York e que estava a ser levado para uma instalação do Departamento de Polícia de Nova York, no Bronx, para ser analisado.

O senador Mitch McConnell também divulgou uma declaração: "Estou com todos os americanos que condenam os atos de terrorismo de hoje" O líder da maioria no Senado, Mitch McConnell, referia ainda na sua declaração que "à medida que continuamos a aprender mais, os americanos estão unidos em gratidão aos primeiros socorristas - o Serviço Secreto, o Serviço Postal e outras autoridades legais."

Ler mais

Exclusivos