"Não nos separem", pedem órfãs siamesas

Jovens de 19 anos sonham em casar-se um dia com o mesmo homem

Consolata e Maria Mwakikuti são gémeas órfãs siamesas que não querem ser separadas. A mãe morreu no parto e o pai morreu algum tempo depois. As irmãs, que vivem em Iringa, na Tanzânia, foram criadas pela organização católica Maria Consolata e têm agora 19 anos.

Apesar de todas estas dificuldades, as duas têm um sonho que pretendem alcançar juntas: serem professoras. Já deram os primeiros passos e estão neste momento no último ano do ensino secundário.

"A nossa esperança é entrar na universidade e sermos professoras", disseram as irmãs à BBC. "Vamos usar um projetor computadores para dar aulas".

Este objetivo pode ser dificultado pela falta de meios no país. Edward Fue, diretor da escola onde as jovens estudam, confessou que ficou chocado quando conheceu Consolata e Maria, e que não sabia como as ajudar porque a instituição não tinha as condições necessárias para as receber bem.

A escola conseguiu depois construiu uma sala especial onde as jovens podem descansar, com a ajuda do governo local, segundo outra reportagem da BBC. A escola contratou também um homem para transportar as irmãs de casa para a escola e vice-versa.

Consolata e Maria sonham também em casar-se um dia com o mesmo homem.

Ler mais

Exclusivos