Lucros de El Chapo no tráfico de droga podem pagar muro com México

Ted Cruz defende que o dinheiro confiscado ao líder do cartel de Sinaloa, condenado esta terça-feira nos EUA por dez crimes de tráfico de droga, devia ser utilizado para pagar o muro que Donald Trump quer construir na fronteira sul

O senador Republicano Ted Cruz tem uma proposta para ajudar o presidente dos EUA Donald Trump a construir o muro na fronteira com o México: usar o dinheiro confiscado a Joaquín "El Chapo" Guzman, o narcotraficante mexicano que foi julgado e condenado esta terça-feira em Nova Iorque por dez crimes de tráfico de droga. A sentença será conhecida a 25 de junho, data em que o juiz Brian Cogan irá determinar a pena de prisão para cada um das acusações - o veredicto pode ditar uma pena de prisão perpétua

A ideia de Ted Cuz, que o presidente norte-americano já considerou "interessante", passa por utilizar a lei que permite às autoridades canalizar o dinheiro apreendido ao líder do cartel de Sinaloa para a construção do muro que tem dividido Democratas e Republicanos.

Se a lei for aprovada - Cruz já a apresentou em 2017 e voltou nesta terça-feira a defendê-la - será possível usar o dinheiro retirado das contas de El Chapo e utilizá-lo em situações consideradas de segurança nacional - como o muro ao longo da fronteira entre os EUA e o México. Segundo o senador seriam cerca de 12 mil milhões de euros para "garantir a nossa fronteira sul e impedir o fluxo ilegal de drogas, armas e indivíduos". "Ao apreender qualquer património de El Chapo e outros traficantes podemos compensar o custo de proteger a nossa fronteira e fazer um progresso significativo para cumprir as promessas feitas ao povo americano".

O projeto de Ted Cruz já mereceu várias críticas com alguns responsáveis a dizerem, segundo The Washigton Post, que esse dinheiro não chegaria para pagar os custos totais do muro. Opinião contrária tem Donald Trump: "Tudo o que Ted faz é interessante. Então isto é certamente interessante."

Na terça-feira, Cruz elogiou a condenação de El Chapo e reiterou que os 12 mil milhões de euros que o líder do cartel de Sinaloa lucrou com o tráfico devia ser utilizado para a edificação do muro. Também a secretária para a imprensa da Casa Branca, Sarah Sanders, aplaudiu a decisão do júri. "O reinado de terror de El Chapo acabou. A ameaça dos cartéis de droga violentos é real, precisamos garantir a nossa fronteira", escreveu na rede social Twitter.

A promessa de construir um muro na fronteira com o México foi uma constante na campanha de Donald Trump que manteve esse projeto depois de ser eleito presidente. No entanto, como os Democratas não aprovam o orçamento para essa edificação o governo federal já enfrentou uma paralisação parcial que durou 25 dias e que foi interrompida devido a um apelo do presidente para se tentar chegar a um consenso. Esse prazo termina esta sexta-feira (dia 15) e Donald Trump já considerou que um novo shutdown "depende dos democratas.

Ler mais

Exclusivos