Guterres critica Trump: "A imigração é uma coisa boa e sem ela os Estados Unidos não existiam"

O secretário-geral da ONU deixou esta tarde recado a Donald Trump em encontro com a comunidade portuguesa em Washington

Num encontro com a comunidade portuguesa em Washington António Guterres afirmou que "a imigração é uma coisa boa e sem ela os Estados Unidos não existiam", no que pode ser interpretado como uma referência aos mais recentes acontecimentos na fronteira entre os Estados Unidos e o México onde milhares de crianças foram separadas dos seus pais ao serem detidos por tentarem entrar ilegalmente no país.

O secretário-geral das Nações Unidas estava a falar na primeira cimeira da Palcus - Portuguese American Leadership Council.

No seu discurso Guterres criticou os países que usam os imigrantes como bodes expiatórios dos seus problemas - como acontece em vários países europeus - e alertou para os perigos destes "tempos difíceis".

"Nunca uma campanha contra a imigração pôs alguém no poder" em Portugal

António Guterres elogiou Portugal, um país onde "nunca uma campanha contra a imigração pôs alguém no poder" e afirmou-se "muito orgulhoso disso". "Isso tem a ver com a capacidade portuguesa de sermos cosmopolitas", mas também "do investimento que é feito na coesão e integração" das pessoas. É também por isso que as pessoas "querem ir viver em Portugal".

Os elogios do ex-primeiro ministro português estenderam se à comunidade portuguesa - "forte e dinâmica" - de que este encontro é exemplo. Reunidos em Washington estão mais de 300 portugueses de sucesso. Além dos empresários, também membros eleitos da comunidade como Jim Costa, congressista da Califórnia e Devin Nunes, que dirige o comité de Intelligência do Congresso e tem sido polémico apoiante das políticas de Donald Trump.

Segundo os dados do Palcus há mais de cem membros eleitos, portugueses, nos EUA. O que, segundo o ministro dos Negócios Estrangeiros Augusto Santos Silva, também presente no encontro, significa que estamos a fazer "melhor lóbi".

O orgulho de ser português foi a tónica mais importante no encontro - orgulho que o secretário-geral das Nações Unidas disse sentir cada vez mais. "Quanto mais ando à volta do mundo mais me orgulho tenho de ser português e dos portugueses."

A jornalista viajou a convite da FLAD

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.