Guerra ao lixo. Malásia vai devolver 3 mil toneladas de plástico aos países ricos

EUA, Japão, França, Canadá, Austrália e Grã-Bretanha são alguns dos países visados. Espanha já recebeu de volta cinco contentores de resíduos plásticos contaminados

Os cidadãos europeus não sabem que aquilo que supostamente reciclam está a contaminar as águas da Malásia. Os resíduos plásticos que não podem ser reciclados vão, por isso, ser enviados de volta para os países de origem, avisou o ministro do Ambiente do país, Yeo Bee Yin. São cerca de três mil toneladas de plástico.

Espanha já recebeu cinco contentores e seguem-se outros 14 países, como os EUA, Japão, França, Canadá, Austrália e Grã-Bretanha.

Desde que, em 2018, a China proibiu a importação de lixo para o país, interrompendo o fluxo de mais de 7 milhões de toneladas do lixo por ano, a Malásia tornou-se o destino número um de envio de resíduos plásticos por parte dos países ricos. "Esses contentores foram ilegalmente trazidos para o país sob falsas declarações e outras ofensas que claramente violam a nossa lei ambiental", disse Yeo aos jornalistas, depois de inspecionar os embarques em Port Klang, nos arredores da capital, noticia a Reuters.

O plástico inadequado para reciclagem é queimado, o que liberta substâncias químicas tóxicas para a atmosfera. Muitas vezes este lixo acaba em aterros que podem contaminar o solo e as fontes de água.

"Se enviarem [lixo] para a Malásia, iremos devolver sem piedade"

O presidente filipino Rodrigo Duterte também ordenou, na semana passada, que o Governo contrate uma empresa de navegação privada para enviar 69 contentores de lixo para o Canadá e para os deixar em águas canadianas caso o país se recuse a receber os resíduos.

O Canadá alega que o lixo, exportado para as Filipinas entre 2013 e 2014, foi uma transação comercial feita sem o consentimento do Governo e concordou em receber o lixo de volta, mas Duterte perdeu a paciência com o compasso de espera.

As autoridades da Malásia identificaram pelo menos 14 países como os responsáveis pelo envio de resíduos plásticos.

Uma empresa de reciclagem com base na Grã-Bretanha exportou até 50 mil toneladas de resíduos plásticos para a Malásia nos últimos dois anos, disse o ministro do ambiente malaio.

"Se enviarem [lixo] para a Malásia, iremos devolve-lo sem piedade", avisou Yeo Bee Yin.

Ainda este mês, cerca de 180 países concordaram em alterar a Convenção da Basileia para tornar o comércio global de resíduos plásticos mais transparente e melhor regulado.

Os EUA são o maior exportador mundial de resíduos plásticos - o país não ratificou o pacto que já tem 30 anos.

Exclusivos