EUA podem enviar mais 5 mil militares para o Médio Oriente

Pentágono recebeu pedido mas não é certo que aprove aumento da presença de tropas na região. Ex-secretário da Defesa de Trump apela para a diplomacia com o Irão.

No meio de tensões crescentes com o Irão, o Departamento de Defesa dos EUA está a ponderar um pedido para o reforço da presença militar no Médio Oriente com o envio de cerca de 5 mil soldados, disseram dois funcionários à Reuters na quarta-feira, que falaram na condição de anonimato.

Os funcionários disseram que o pedido foi feito pelo Comando Central dos EUA, mas acrescentaram que não era claro se o Pentágono aprovaria o pedido. O Pentágono recebe com regularidade, e também declina com regularidade, pedidos de recursos adicionais de comandos em todo o mundo.

Um dos funcionários disse que as tropas solicitadas seriam de natureza defensiva.

Ex-secretário da Defesa contra os falcões

O pedido foi noticiado no mesmo dia em que o anterior secretário de Defesa, Jim Mattis, apelou para os esforços da diplomacia, temendo que os conselheiros da Casa Branca estejam a conduzir os Estados Unidos para a guerra.

"Os Estados Unidos devem ganhar tempo para manter a paz e a estabilidade e permitir que os diplomatas trabalhem na diplomacia para manter a paz por mais uma hora, mais um dia, mais uma semana, um mês ou um ano", disse Mattis aos conselheiros (majlis) do príncipe herdeiro de Abu Dhabi, Mohammad Bin Zayed Al Nahyan.

Mattis propôs a criação de uma aliança de nações para conter o Irão e para combater o terrorismo. "Se esse terrorismo continuar, acabará por haver um momento em que os terroristas terão em mãos armas de destruição em massa. E não podemos deixar que isso aconteça."

Exclusivos