"És única." Barack Obama dá os parabéns a Michelle com fotografia de juventude

A ex-primeira-dama festejou ontem 55 anos. O seu livro de memórias, Becoming, foi o mais vendido de 2018 nos Estados Unidos. A partir de abril a tournée de apresentação do livro passa pela Europa

"Já o sabia então e estou hoje absolutamente convencido: és a única, Michelle Obama. Parabéns!", escreveu Barack Obama no Instagram ontem, dia em que a ex-primeira-dama festejou 55 anos. A data foi assinalada pelo anterior presidente dos Estados Unidos com uma fotografia de juventude dos dois, casados há 26 anos.

Michelle Obama, que recentemente publicou a sua autobiografia Becoming, que foi lançado no final de 2018 e logo se tornou no livro mais vendido do ano nos EUA, usou a mesma rede social para agradecer todo o "amor" que recebeu no seu aniversário. "Sinto-me tão grata pelas minhas raízes do South Side [Chicago], pelo meu parceiro e filhas, e por todas as voltas nestes 55 anos. Mal posso esperar para ver o que traz o próximo."

Em Becoming, Michelle Obama revela informações sobre a vida de Obama após uma década no centro das atenções de todo o mundo, fala sobre o seu casamento, carreira, várias lutas que travou em vida, e impressões sobre a classe política, a que Donald Trump não escapa.

A ex-primeira dama tem andado em tournée a apresentar o livro. Em abril chega à Europa. Começa por Copenhaga, a 9 de abril, cidade a que se seguem Estocolmo, Oslo, Londres, Paris, e Amesterdão, última cidade europeia da tournée.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Patrícia Viegas

Espanha e os fantasmas da Guerra Civil

Em 2011, fazendo a cobertura das legislativas que deram ao PP de Mariano Rajoy uma maioria absoluta histórica, notei que quando perguntava a algumas pessoas do PP o que achavam do PSOE, e vice-versa, elas respondiam, referindo-se aos outros, não como socialistas ou populares, não como de esquerda ou de direita, mas como los rojos e los franquistas. E o ressentimento com que o diziam mostrava que havia algo mais em causa do que as questões quentes da atualidade (a crise económica e financeira estava no seu auge e a explosão da bolha imobiliária teve um impacto considerável). Uma questão de gerações mais velhas, com os fantasmas da Guerra Civil espanhola ainda presente, pensei.