Empoderamento feminino sim, mas "não à custa dos homens"

Frase do primeiro-ministro australiano no Dia Internacional da Mulher causou várias reações de repúdio

"Nós queremos ver as mulheres a subirem. Mas não as queremos ver a subir apenas às custas da queda de outros", disse Scott Morrison, primeiro-ministro australiano, durante um discurso para celebrar o Dia Internacional da Mulher.

Para o governante, os homens não devem ter que ceder passagem às mulheres só em nome do empoderamento feminino. "Não vamos colocar os australianos uns contra os outros. Para uns subirem não é preciso puxar os outros para baixo", reforçou Morrison, representante do Partido Liberal australiano, no qual 76% dos dirigentes são homens.

"Este é um valor absolutamente liberal", defendeu o governante. "Não se prejudicam algumas pessoas para se beneficiarem outras. E isso é válido também na questão da igualdade de género", disse, acrescentando ainda: "Nós queremos que toda a gente fique melhor e queremos que o empoderamento das mulheres neste país se acelere para garantir que mantém o seu estatuto na sociedade."

As declarações de Scott Morrison causaram de imediato uma onda de reações, entre as quais uma da senadora Sarah Hanson-Young, dos Verdes, que no Twitter publicou um comentário crítico apontando ao PM australiano : "Os homens que se sentem ameaçados ou preocupados com a conquista da igualdade pelas mulheres são o grande problema. A sério, quem assessora estes marretas?"

Outra política australiana, do Partido Trabalhista, Jackie Trad, lembrou a distribuição desequilibrada do Partido Liberal no parlamento federal: "Dos 106 lugares, só 19 são ocupados por mulheres. Talvez o sucesso dos homens no Partido Liberal não devesse ser feito à custa das mulheres."

Já a deputada independente Kerryn Phelps publicou apenas um emoji envergonhado.