Inédito: Trump arrasa May em entrevista ao Sun e diz que Boris Johnson seria "excelente" primeiro-ministro

Entrevista a tabloide, divulgada no dia da chegada, está a provocar manifestações em Londres.

Donald Trump arrasou a nova estratégia da primeira-ministra britânica Theresa May para o brexit, acusando-a de estar a arruinar o objetivo dos britânicos de saírem da União Europeia, com a sua abordagem "suave" das negociações com Bruxelas, o que deverá "matar" futuros acordos comerciais com os EUA.

As declarações foram feitas durante uma entrevista ao jornal The Sun, na qual o presidente dos EUA afirmou ainda que o ex-ministro dos Negócios Estrangeiros britânico Boris Johnson daria um "excelente" primeiro-ministro.

A entrevista de Trump foi revelada enquanto decorria um jantar de boas-vindas de May ao presidente norte-americano e parece está a incomodar. O jornal The Guardianconsiderou que se trata de uma entrevista "extraordinária", que ameaça minar a nova estratégia de May, ao "humilhá-la abertamente".

Do outro lado do Atlântico, o The New York Times também diz que a entrevista é uma "notável quebra de protocolo", com a marca de Trump de "diplomacia confrontacional e disruptiva". O Washington Post fala em entrevista explosiva,

Acusando a primeira-ministra de fazer um "brexit light", Trump disse ao The Sun que "se [os britânicos] fizerem um acordo [como o que está em cima da mesa], nós vamos negociar com a União Europeia, em vez de negociarmos com o Reino Unido, pelo que provavelmente isso vai matar o acordo" com o Reino Unido.

O presidente norte-americano, que comparou o referendo de junho de 2016, no qual se decidiu a saída do Reino Unido da União Europeia, com as eleições norte-americanas desse mesmo ano ano, disse: "O acordo que ela está a procurar obter é muito diferente do que aquele pelo qual as pessoas votaram".

Trump também disse ao tabloide que tinha aconselhado May durante as negociações britânicas com Bruxelas, mas que esta o tinha ignorado.

Johnson daria um "excelente" primeiro-ministro

Trump disse ao mesmo jornal, apenas alguns dias depois de Johnson ter saído do governo de Governo de May, que Johnson é alguém "muito talentoso" e que gosta "muito" dele. E acrescentou: "Penso que ele seria um grande primeiro-ministro. Penso que tem o que é preciso".

No mesmo registo, declarou-se "muito entristecido" por ver Johnson sair do Governo, manifestando-se esperançado em que "ele volte" e elogiando-o diretamente: "Acho que ele é um grande representante do vosso país".

Quando questionado diretamente sobre se pensa que Johnson pode um dia substituir May, recusou responder, dizendo que não estava interessado "em pôr um contra o outro".

Boneco gigante incomodou

Durante a mesma entrevista, o presidente norte-americano revelou que foi informado da existência de um balão gigante, do 'Bebé Trump', que vai ficar a flutuar hoje em Londres, junto ao parlamento, enquanto decorre uma manifestação de protesto contra Trump.

Ao justificar ao jornal o facto de passar pouco tempo em Londres, Trump disse: "Penso que quando põem balões para me fazer sentir indesejado, não há razões para ir a Londres".

Trump responsabilizou o presidente da câmara de Londres, Sadiq Khan, que é muçulmano, pela atmosfera da cidade e pelo recente atentado terrorista.

Sadiq Khan autorizou os manifestantes a exibirem o balão, com seis metros de altura, mostrando Trump como um bebé zangado e de fraldas.

Ler mais

Exclusivos

Ricardo Paes Mamede

DN+ Queremos mesmo pagar às pessoas para se reproduzirem?

De acordo com os dados do Banco Mundial, Portugal apresentava em 2016 a sexta taxa de fertilidade mais baixa do mundo. As previsões do INE apontam para que a população do país se reduza em mais de 2,5 milhões de habitantes até 2080, caso as tendências recentes se mantenham. Segundo os dados da OCDE, entre os países com economias mais avançadas Portugal é dos que gastam menos com políticas de apoio à família. Face a estes dados, a conclusão parece óbvia: é preciso que o Estado dê mais incentivos financeiros aos portugueses em idade reprodutiva para que tenham mais filhos.