Um morto e um ferido em explosão numa estação de metro de Estocolmo

Vítima mortal apanhou do chão objeto que depois explodiu. Polícia acredita que não há relação com terrorismo

Uma pessoa morreu e outra ficou ferida este domingo depois de uma explosão numa estação de metro em Estocolmo, na Suécia.

A explosão, segundo o The Local, aconteceu na estação de Vårby Gård. A vítima mortal é um homem de 60 anos, que não sobreviveu aos ferimentos. "Havia alguma coisa no chão e o homem apanhou-a, depois explodiu", contou à agência de notícias TT Sven-Erik Olsson, da polícia de Estocolmo. A outra pessoa ferida é uma mulher de 45 anos que se encontrava no local. As autoridades acreditam que não existe relação com terrorismo na explosão.

O jornal Aftonbladet reporta que o objeto apanhado do chão seria uma granada de mão, ainda que não haja confirmação oficial desta informação. A polícia está a investigar.

A estação de metro foi evacuada, bem como uma praça nas imediações. O alerta às autoridades foi dado às 11:07 locais (10:07 em Lisboa). Uma equipa de inativação de explosivos esteve no local, segundo o jornal sueco SVT Nyheter.

A estação de Vårby Gård fica em Huddinge, um distrito residencial no sudoeste da cidade de Estocolmo.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

O Banco de Portugal está preso a uma história que tem de reconhecer para mudar

Tem custado ao Banco de Portugal adaptar-se ao quadro institucional decorrente da criação do euro. A melhor prova disso é a fraca capacidade de intervir no ordenamento do sistema bancário nacional. As necessárias decisões acontecem quase sempre tarde, de forma pouco consistente e com escasso escrutínio público. Como se pode alterar esta situação, dentro dos limites impostos pelas regras da zona euro, em que os bancos centrais nacionais respondem sobretudo ao BCE? A resposta é difícil, mas ajuda compreender e reconhecer melhor o problema.