Deputado do partido de Bolsonaro dá cabeçada em colega e acaba no Conselho de Ética

Julian Lemos, do partido de Bolsonaro, foi acusado por Expedito Netto de agressão física e falta de decoro após confusão no Congresso Nacional.

O debate ia longo e tenso esta tarde na Câmara dos Deputados do Brasil, quando Julian Lemos, do PSL, o mesmo partido do presidente da república Jair Bolsonaro, encostou por segundos a sua testa à do colega Expedito Netto, do PSD, partido que pertence ao chamado "Blocão", grupo de forças que vota tanto a favor como contra as propostas do governo, dependendo das circunstâncias.

Netto interveio numa discussão entre Lemos e um terceiro deputado, Deputado Edmilson, do PSOL, de extrema-esquerda, que reclamava à presidente da sessão de falta de tempo para intervir. Ao ver Edmilson ser empurrado por Lemos, o parlamentar do PSD agiu mas foi empurrado pela testa do segundo.

Após o incidente, o agredido entrou com queixa no Conselho de Ética da Câmara por falta de decoro e agressão física.

Controverso, Lemos, considerado pelo próprio Bolsonaro o seu braço-direito na região nordeste do país, uma região que o PT de Lula da Silva domina eleitoralmente, já cumpriu pena por agressão à ex-mulher e acusado duas vezes de agressão à sua irmã.

Exclusivos