Como a guerra da Síria mudou a face de Jouma, um rapaz de quatro anos

Jouma e a família estavam na Síria em 2018 quando um ataque aéreo atingiu o autocarro em que fugiam da guerra. O rosto da criança que na altura tinha três anos nunca mais foi o mesmo. A BBC conta o seu caso.

É hoje um rapaz de quatro anos, curioso com o mundo que o rodeia e adorado pelos seus pais. É assim que a correspondente da BBC no Líbano, Eloise Alanna, descreve Jouma, uma criança da Síria que ficou com a cara deformada, quando o autocarro em que seguia com a família foi atingido por um bombardeamento aéreo, há um ano. Ficou cego e com marcas horríveis no rosto, o que levou a BBC a editar com cuidado a reportagem.

A família, um casal e três filhos, é curda e originária de uma zona rural no norte da Síria. Fugiam de casa quando o ataque aéreo atingiu o veículo, com uma janela do autocarro a desfazer-se na cara de Jouma. Ficou deformado, cego, e, um ano depois, ainda surgem pequenos pedaços de vidro na pela da sua face.

A família encontrou refúgio no Líbano, onde vive num pequeno quarto perto de Beirute. Apenas falam curdo o que tem dificultado a vida no Líbano, mas têm a ajuda de uma voluntária que faz a tradução para conseguirem comida e procurarem asilo num país europeu, O que não é fácil já que só no Líbano vivem mais de um milhão de refugiados sírios.

Eloisa Alanna decidiu que não iria entrevistar a família, devido ao trauma em que ainda vivem. A jornalista confessou que nem foi a cara deformada de Jouma que mais a impressionou mas os efeitos psicológicos e traumáticos da sua experiência de fuga a uma guerra.

Pode ver aqui o vídeo da BBC sobre Jouma e a família.