Brasil em choque com imagens de marido que mata a mulher

No caso, que resultou na morte da advogada Tatiane Spitzer após queda de um quarto andar, o marido é acusado de homicídio com quatro agravantes. Número de mulheres vítimas de homicídio no ano passado no Brasil foi de 4539, um aumento de 6,1% em relação a 2016

O Brasil ainda está em choque depois das imagens das agressões de Luís Felipe Mainvailer, um biólogo e professor universitário, à mulher, a advogada Tatiane Spitzer, terem sido divulgadas pelas televisões nacionais do país. Ontem, Mainvailer foi formalmente acusado dos crimes de homicídio com quatro agravantes - meio cruel, dificultar a defesa da vítima, motivo torpe e feminicídio -, de cárcere privado e de fraude processual.

Tatiane, de 29 anos, foi encontrada morta na madrugada do dia 22 de julho, em Guarapuava, cidade do Paraná, depois de cair do quarto andar do prédio onde vivia com Mainvailer, de 32.

O marido foi detido naquela manhã após sofrer um acidente de automóvel a 340 quilómetros do local, próximo da fronteira com o Paraguai. No dia 31 de julho foi indiciado pela polícia por homicídio. Em depoimento negou a autoria do crime, sustentando que fora suicídio, e que o acidente de viação se deveu "à visão constante dela a jogar-se da varanda".

Foi então que as imagens gravadas por câmaras de segurança do prédio foram tornadas públicas. Nelas, vê-se Mainvailer, que voltava de carro no início da madrugada da sua festa de aniversário, a agredir Tatiane ainda na viatura. Depois, as agressões e perseguições sucedem-se na garagem do edifício e no elevador. Mais tarde, já depois da queda do quarto andar que motivou a morte de Tatiane, o suspeito arrasta o corpo da mulher e tenta, visivelmente desesperado, limpar imagens de sangue do elevador.

O pai da vítima relatou indícios de agressões noutras ocasiões. Uma amiga mostrou à polícia mensagens de Tatiane a queixar-se do comportamento do marido e a equacionar o pedido de divórcio. O irmão de Manvailer, no entanto, garante que o casamento era feliz.

A perícia realizada no local do crime constatou uma fratura no pescoço de Tatiane, o que pressupõe asfixia.

A defesa alerta para o facto de todas as teses levantadas serem, por enquanto, meramente especulativas e já pediu a transferência de Manvailer para atendimento psiquiátrico urgente, uma vez que o detido tentou o suicídio na cela.

Mais de 600 casos de violência doméstica por dia em 2017

De acordo com o Anuário Brasileiro de Segurança Pública, o Brasil teve registo de 221 238 casos de violência doméstica em 2017. Os números devem, contudo, ser ainda maiores, uma vez que vários órgãos regionais não forneceram dados ao Anuário.

Este conclui ainda que o número de mulheres vítimas de homicídio no ano passado foi de 4539, um aumento de 6,1% em relação a 2016. Destas, mais de 1100 foram vítimas de feminicídio.

O número de assassínio também bateu recordes no ano passado. Foram registadas 63 619 mortes violentas, um aumento de 2,9% em relação a 2016.

Em São Paulo

Ler mais

Adolfo Mesquita Nunes

Premium Derrotar Le Pen

Marine Le Pen não cativou mais de dez milhões de franceses, nem alguns milhões mais pela Europa fora, por ter sido estrela de conferências ou por ser visita das elites intelectuais, sociais ou económicas. Pelo contrário, Le Pen seduz milhões de pessoas por ter sido excluída desse mundo: é nesse pressuposto, com essa medalha, que consegue chegar a todos aqueles que, na sequência de uma crise internacional e na vertigem de uma nova economia digital, se sentem excluídos, a ficar para trás, sem oportunidades.

João Taborda da Gama

Premium Temos tempo

Achamos que temos tempo mas tempo é a única coisa que não temos. E o tempo muda a relação que temos com o tempo. Começamos por não querer dormir, passamos a só querer dormir, e por fim a não conseguir dormir ou simplesmente a não dormir, antes de passarmos o resto do tempo a dormir, a dormir com os peixes. A última fase pode conjugar noites claras e tardes escuras, longas sestas de dia com um dormitar de noite. Disse-me um dia o meu barbeiro que os velhotes passam a noite acordados para não morrerem de noite, e se ele disse é porque é.