Virginia Beach: 12 mortos. Engenheiro entrou a matar onde trabalhava

Ataque de sexta-feira é já o mais mortífero deste ano nos EUA. Governador da Virgínia já classificou o dia de ontem como "trágico". O presidente de câmara como "um dos mais devastadores da história da cidade." Ressentimento com questões laborais parecem estar na origem do tiroteio. A polícia abateu o suspeito.

Virginia Beach viveu ontem um final de tarde mortífero. O último balanço das autoridades dá conta de 13 mortos, contando com o próprio atirador, que foi abatido pela polícia, e, neste momento, de quatro feridos, dois em estado grave.

O tiroteio foi já considerado como o mais mortífero deste ano dos EUA, com o mesmo número de mortos ao do ataque a um bar na Califórnia, em novembro de 2018.

O que levou este engenheiro, de 40 anos, funcionário público de longa data, que trabalhava no edifício 2 do complexo Virginia Beach, a disparar sobre pessoas que trabalhavam no mesmo espaço que ele, não se sabe ao certo, mas a polícia suspeita de que estivesse ressentido com questões laborais. Para a população e para as autoridades foi um dia trágico, que marcará a história da cidade.

Os disparos começaram pelas 16:00 em Virginia (21:00 em Lisboa), ao final de mais um dia de trabalho, e o atirador percorreu vários andares do edifício. De acordo com o chefe de polícia da cidade, Jim Cervera, foram encontradas vítimas em vários corredores e uma gora do edifício, dentro de uma carro, referindo que um dos seus agentes foi baleado, não tendo ficado ferido mais gravemente devido ao colete à prova de bala.

Jim Cervera referiu ainda que o atirador foi socorrido por agentes depois de ter sido baleado, mas não resistiu aos ferimentos. O Hospital Geral de Virginia Beach recebeu os feridos, dando conta já noite dentro de que dois se encontravam em estado grave, um estável e o último já tinha tido alta.

Para o governador da Virginia "este é um dia trágico. Os nossos pensamentos vão para as vítimas e famílias. Estamos a trabalhar com a nossa força policial, socorristas, hospital para nos certificarmos que estamos a cuidar de todos agora ", disse Ralph Northam, aos repórteres à chegada ao local.

Até esta manhã, as autoridades não tinham divulgado p identificação do atirador.

No Twitter, o senador da Virginia Tim Kaine disse estar "devastado" com as notícias do tiroteio.

Ler mais

Exclusivos