Há um astronauta no governo de Pedro Sánchez

Tem 55 anos e foi o primeiro espanhol a viajar para o espaço. Agora é ministro da Ciência, Inovação e Universidades de Pedro Sánchez

O astronauta da Agência Espacial Europeia e Príncipe das Astúrias, Pedro Duque, será o próximo ministro da Ciência, Inovação e Universidades do novo governo espanhol de Pedro Sánchez, segundo avança o La Vanguardia .

Natural de Madrid, a nova cara do executivo espanhol tem 55 anos, e é engenheiro aeronáutico. Foi o primeiro espanhol a viajar para o espaço.

Pedro Duque nasceu a 14 de março de 1963 em Madrid, Espanha. É casado, tem três filhos e, segundo biografia publicada no site da Agência Espacial Europeia- ESA, gosta também de fazer mergulho, praticar natação e ciclismo.

Agraciado pelo rei Juan Carlos

Formado em Engenharia Aeronáutica pela Escola Técnica Superior de Engenheiros Aeronáuticos da Universidade Politécnica de Madrid, em 1986, Pedro Duque já foi agraciado com alguns prémios.

A Ordem de amizade, concedida pelo presidente russo Boris Yeltsin, em março de 1995, a Grande Cruz de Mérito Aeronáutico, concedida pelo rei da Espanha, em fevereiro de 1999, e o Prémio Príncipe de Astúrias para Cooperação Internacional foram três das distinções que lhe foram atribuídas pelo desempenho das suas funções.

Do seu currículo importa salientar que começou a trabalhar na ESA em 1986, tendo sido selecionado para se juntar ao Corpo de Astronautas da ESA, em 1992. Viveu então na Alemanha, Rússia e Estados Unidos da América.

Segundo a biografia publicada no site Spacefacts.de, o primeiro voo espacial de Duque aconteceu em 1998 na missão STS-95, a bordo do Vaivém Espacial, durante a qual supervisionou os módulos experimentais da ESA. Em outubro de 2003, voltou à órbita a bordo da Soyuz TMA-3 e visitou a Estação Espacial Internacional durante nove dias, para uma troca de tripulação.

Em outubro de 2006, Pedro deixou a ESA para assumir um cargo de direção da Deimos Imaging, uma empresa privada que opera um sistema comercial de observação da Terra, onde ficou até 2011.

Atualmente dá aulas na Escuela Técnica Superior de Ingenieros Aeronaúticos em Madrid.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.