Entrou na água bem e saiu a sangrar. Terá sido atacado por piolhos do mar

Médicos não sabem que animal atacou o jovem de 16 anos. Especialista universitário diz que foram piolhos do mar

Um jovem de 16 anos teve de ser hospitalizado após ter sido atacado por um animal marinho ainda não identificado. Sam Kanizay foi a uma praia de Melbourne, na Austrália, no sábado e quando saiu da água tinha os pés cobertos de sangue.

"Quando ele saiu da água, disse que tinha areia nas pernas, então voltou para a água", contou Jarrod Kanizay, pai de Sam. Segundo o pai, Sam só se apercebeu de que estava a sangrar quando foi calçar os sapatos. "Nós limpávamos as pernas dele e elas continuavam a sangrar. Havia uma grande poça de sangue no hospital", continuou, segundo jornal australiano News.

Os médicos tiveram dificuldades em estancar a hemorragia e ainda não conseguiram identificar ao certo o que mordeu ou atacou Sam.

"Ninguém sabe que criaturas são estas", contou Jarrod Kanizay. "[Os médicos] chamaram várias pessoas, especialistas em toxicidade, especialistas marinhos e outros médicos de Melbourne e ninguém [sabe]".

Sem respostas, Jarrod foi no domingo à praia onde o filho tinha sido atacado e, com uma rede, apanhou alguns dos animais que podem ser os responsáveis pelos ferimentos dos filhos. Jarrod gravou um vídeo destes animais dentro de um tabuleiro com água a comerem pedaços de carne crua.

"O que é claro é que estas coisas gostam de comer carne", disse Jarrod. O vídeo, com imagens consideradas chocantes, foi partilhado nas redes sociais e tem assustado os banhistas de Melbourne.

O professor assistente da Escola de Ciências Biológicas da Universidade de Monash, Richard Reina, identificou os animais como piolhos do mar, um animal geralmente inofensivo.

"Quando mordem tu mexes-te ou sais da água e não há consequências", explicou o professor. "Neste caso, Sam ficou em pé na água fria durante muito tempo e provavelmente pensou que as picadas que descreveu [ter sentido] eram do frio, não percebendo que estavam crustáceos a comerem-lhe os pés", continuou.

Reina explicou ainda que um piolho do mar deve ter mordido Sam e o sangue deve ter chamado os outros, já que eles não andam em grupo.

"Esta situação é muito incomum e as pessoas não se deviam preocupar", disse o professor. "Eles são muito pequenos e comem principalmente animais mortos. O facto de [Sam] estar parado enquanto eles lhe mordiam deu-lhes a chance [de continuar]".

Reina disse ainda que os ferimentos de Sam parecem graves nas fotografias mas são superficiais. Segundo o professor, o jovem deverá recuperar rapidamente.

Ler mais

Exclusivos