Acidente de autocarro em Espanha faz pelo menos cinco mortos

Viatura embateu num pilar de um viaduto na localidade de Avilés. Incidente fez pelo menos 15 feridos

Pelo menos cinco pessoas morreram esta segunda-feira na sequência de um acidente de autocarro em Avilés, Espanha. Do incidente resultaram ainda 15 feridos.

De acordo com o jornal espanhol El País , a viatura, ao serviço da companhia Alsa, chocou contra um pilar de um viaduto, e a violência do embate fez com que esta se abrisse ao meio, até à terceira fila.

Fontes da emergência médica referiram à agência noticiosa Efe que cinco dos feridos se encontram em estado crítico, dois no hospital universitário das Astúrias UHUCA), em Oviedo, outros dois no San Agustín, de Avilés, e um no centro hospitalar Cabueñes, em Gijón.

Quatro pessoas morreram na colisão e uma quinta vítima não resistiu aos ferimentos quando era transportada de ambulância para um centro hospitalar.

O condutor encontra-se entre os feridos, e segundo diversas fontes sofreu diversas amputações.

O alerta para o acidente foi dado pelas 13:40 locais (12:40 em Portugal continental). O autocarro fazia a ligação Cudillero-Avilés-Gijón.

Notícia atualizada às 17:25.

Ler mais

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.