Abandono de golfinho e pinguins no Japão gera indignação

Aquário fechou em janeiro devido a queda nas receitas. Ativistas têm protestado e antigos funcionários têm alimentado os animais largados à sua sorte. Problema começou com um documentário que venceu um Óscar em 2010

Desde janeiro deste ano que Honey, um golfinho fêmea, encontra-se trancada no Aquário e Parque Marinho Inubosaki, situado na cidade japonesa de Choshi.

Honey tem ainda a companhia de 46 pinguins, centenas de peixes e répteis que estão abandonados à sua sorte depois de a operadora que explorava o espaço tê-lo fechado em janeiro devido a uma queda acentuada no número de visitantes, situação que começou a ganhar forma em 2011 depois do terramoto e da crise nuclear de 2011.

A situação tem motivado diversos protestos de ativistas que pedem para que os animais sejam salvos. Honey foi capturada em 2005 perto da cidade portuária de Taiji, que se tornou conhecida mundialmente ao ser retratada no documentário "The Cove", que venceu o Óscar em 2010. Desde essa altura que a prática de aquários japoneses comprarem golfinhos em Taiji que se tornou mundialmente criticada.

Honey e os restantes animais abandonados têm sido alimentados com regularidade pelos antigos funcionários mas o golfinho fémea tem um espaço exíguo para se movimentar.

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

"Corta!", dizem os Diáconos Remédios da vida

É muito irónico Plácido Domingo já não cantar a 6 de setembro na Ópera de São Francisco. Nove mulheres, todas adultas, todas livres, acusaram-no agora de assédios antigos, quando já elas eram todas maiores e livres. Não houve nenhuma acusação, nem judicial nem policial, só uma afirmação em tom de denúncia. O tenor lançou-lhes o seu maior charme, a voz, acrescida de ter acontecido quando ele era mais magro e ter menos cãs na barba - só isso, e que já é muito (e digo de longe, ouvido e visto da plateia) -, lançou, foi aceite por umas senhoras, recusado por outras, mas agora com todas a revelar ter havido em cada caso uma pressão por parte dele. O âmago do assunto é no fundo uma das constantes, a maior delas, daquilo que as óperas falam: o amor (em todas as suas vertentes).

Premium

Crónica de Televisão

Os índices dos níveis da cadência da normalidade

À medida que o primeiro dia da crise energética se aproximava, várias dúvidas assaltavam o espírito de todos os portugueses. Os canais de notícias continuariam a ter meios para fazer directos em estações de serviço semidesertas? Os circuitos de distribuição de vox pop seriam afectados? A língua portuguesa resistiria ao ataque concertado de dezenas de repórteres exaustos - a misturar metáforas, mutilar lugares-comuns ou a começar cada frase com a palavra "efectivamente"?