Indonésia investe 30,6 mil milhões de euros para construir nova capital

Jacarta, onde vivem 10 milhões de pessoas, está a afundar-se rapidamente. Futura capital do maior país muçulmano do mundo ficará na ilha do Bornéu.

A Indonésia vai transferir a sua capital da ilha de Java para a do Bornéu, num investimento de 30,6 mil milhões de euros que demorará cerca de uma década a concretizar-se.

A decisão foi anunciada segunda-feira pelo presidente indonésio, Joko Widodo, e é a resposta ao rápido afundamento de Jacarta - onde reside um terço dos 30 milhões de pessoas daquela que é uma das áreas metropolitanas mais populosas do mundo - no mar de Java, segundo noticiou a CNN.

Jacarta situa-se numa área pantanosa junto ao mar e na base desse rápido afundamento, já reconhecido pelo Fórum Económico Mundial, está a extração excessiva de águas subterrâneas.

A nova capital, que as autoridades estimam demorar uma década a construir, vai situar-se numa área de selva no leste do Bornéu.

"Como uma grande nação que é independente há 74 anos, a Indonésia nunca escolheu a sua própria capital", disse o presidente Widodo numa declaração ao país noticiada pela agência France Press.

Jacarta tem sido o centro político e financeiro da Indonésia desde 1949, quando a Holanda reconheceu a independência do arquipélago ocupado pelos japoneses durante a II Guerra Mundial e após quatro anos de tentativas falhadas para recuperar a antiga colónia - que os indonésios tinham declarado independente logo em 1945.

Além de sobrepovoada, Jacarta enfrenta também graves problemas de poluição ambiental devido aos quase permanentes congestionamentos de trânsito - e que, lembrou a CNN, motivou uma queixa judicial de alguns residentes contra o governo.

A nova capital indonésia ainda não tem nome e a luz verde para a sua construção precisa da autorização prévia do Parlamento.

Exclusivos