Ikea anunciou primeira loja na Nova Zelândia e o país enlouqueceu

Anúncio da abertura da primeira unidade da empresa sueca de mobiliário está a gerar grande entusiasmo popular e os políticos reclamam louros.

Foram anos de espera. Após rumores e especulações, agora tudo parece confirmado e o Ikea vai mesmo abrir a sua primeira loja na Nova Zelândia, o que está a provocar a loucura no país, com as redes sociais em comentários contínuos e os políticos a procurarem "rentabilizar" o anúncio da chegada da cadeia sueca de mobiliário.

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Winston Peters, rapidamente procurou créditos pela novidade, afirmando estar certo de que a sua decisão de abrir uma embaixada em Estocolmo desempenhou papel decisivo. "Instalámos uma embaixada em Estocolmo há cerca de dois meses e a grande novidade está aí: o Ikea vem operar na Nova Zelândia", disse Peters que integra o governo trabalhista. "Passaram todos esses anos em que não vieram para a Nova Zelândia e agora está confirmado."

Os maiores meios de comunicação do país emitiram alertas de última hora para divulgar a notícia e os artigos sobre a abertura do gigante sueco do mobiliário estiveram como manchete dos sites de notícias. Poucas horas depois do anúncio, o Ikea era o tópico mais popular do Twitter na Nova Zelândia.

O professor Jonathan Elms, da Universidade de Massey, disse que a inauguração será um acontecimento "bastante significativo" para o país e adiantou que se a nova loja ficar localizada entre Auckland e Hamilton poderá ser "o elo" a unir estas duas cidades do norte. "Há anos circulam boatos sobre a chegada à Nova Zelândia", disse Elms, acrescentando que o Ikea poderá causar, contudo, problemas imprevistos como congestionamento de trânsito. "É algo novo, diferente, definitivamente vai aumentar o nível."

Embora a notícia tenha sido recebida com entusiasmo pelos neozelandeses, alguns lamentam que a pacata ilha do Pacífico Sul esteja a ficar dominada por multinacionais, uma semana depois de a cadeia de fast-food americana Taco Bell anunciar que abrirá várias lojas na Nova Zelândia.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG