Icebergues à deriva obrigam navios a alterarem rotas marítimas

Navios de carga que atravessam o Atlântico Norte são obrigados a desvios que podem atrasar as viagens por dia e meio

Mais de 400 icebergues estão à deriva em rotas marítimas no Atlântico Norte na última semana, uma quantidade elevada para esta altura do ano, o que obriga os navios a pararem ou desviarem-se centenas de quilómetros.

Os meteorologistas atribuem o número de massas de gelo à deriva no oceano a ventos que estão a levar os icebergues para sul, o que poderá estar a ser acelerado pelo aquecimento global, que faz com que o gelo da Gronelândia se quebre.

Na segunda-feira, estavam localizados 450 icebergues perto da Terra Nova, quando na semana anterior só havia 37, de acordo com a patrulha do gelo da Guarda Costeira dos Estados Unidos, que por esta altura do ano costuma contar 80 icebergues.

Os navios de carga que atravessam o Atlântico são obrigados a desvios de mais de 500 quilómetros que podem atrasar as viagens por dia e meio.

Perto da costa da Terra Nova, há navios de carga a cruzarem o oceano a velocidades de 03 a 04 nós, equivalente a cerca de 7,5 quilómetros por hora, e pelo menos um já ficou danificado por ter embatido num bloco de gelo.

A comandante da Guarda Costeira Gabrielle McGrath, que chefia a patrulha do gelo, afirmou que nunca viu um aumento destes em tão pouco tempo.

A responsável prevê que pelo quarto ano consecutivo haja uma temporada de icebergues extrema, com mais de 600 blocos de gelo nos corredores marítimos

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG