Homem regressa à vida dois dias depois de ter sido desligado das máquinas

O australiano Beau Shortis ficou em coma durante um mês depois de ter sido agredido violentamente à saída de uma festa. Ninguém acreditava que ele recuperasse, mas ele acordou

A esperança é a última a morrer. Que o diga Beau Shortis, pai de três crianças, que entrou em coma depois de ter sido agredido violentamente na cabeça com um soco, quando saia da festa de noivado do melhor amigo.

A vítima ficou um mês ligado às maquinas, que lhe garantiram o suporte básico, mas não o reanimaram. O incidente aconteceu em Merlbourne, na Austrália, em novembro do ano passado.

Shortis foi internado no The Alfred Hospital, onde os médicos, passado um mês, disseram à família que não havia mais nada a fazer.

"Não é muito positivo", disse a irmã Donna Griffiths ao site News.com.au. "Estamos apenas esperando por um milagre." E ele chegou. Dois dias depois de terem decidido desligar as máquinas que o agarravam à vida.

A família resignou-se com a partida do ente querido e começou a preparar-lhe o funeral. Mas Shortis tinha outros planos.

Dois dias depois de terem desligado o suporte básico de vida de Beau, ele acordou.

Tinha fratura no crânio, danos cerebrais, vértebras fraturadas, perdeu a visão de um olho e apresentava amnésia. Mas estava desperto e vivo. Os médicos disseram apenas que ele não poderia andar antes de seis a nove meses e mandaram-no para a reabilitação.

"Eu só pensei que tinha de sair daqui, eu tenho de fazer o que puder para sair daqui", disse à mesma publicação Shortis que, oito semanas depois, estava de volta a casa.

Funcionário de um armazém, lembra-se pouco da noite em que foi agredido e ainda não voltou ao trabalho, mas confessa que a experiência lhe deu uma nova perspetiva de vida.

"Fez-me pensar mais sobre a minha família e sobre os meus filhos. Eu quero que eles sejam felizes e tenham motivos voltar para casa", disse ele.

"Tudo o que sei e tudo o que importa para mim é que estou aqui. Eu estou aqui por um motivo, não sei o que é ainda, mas deve ser bom - não era a minha hora."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG