Autoridades dizem que autor de ataque em Hamburgo queria morrer como "mártir"

Suspeito já estava a ser investigado pelas autoridades

As autoridades alemãs indicaram esta segunda-feira que o palestiniano que esfaqueou mortalmente uma pessoa e feriu outras seis na passada sexta-feira num supermercado em Hamburgo parece ter-se convertido individualmente ao islamismo radical e esperava morrer como um "mártir".

A secção do Ministério Público alemão responsável pelos casos de terrorismo fez saber que o suspeito, identificado como Ahmad A., estava ainda a ser investigado, avançou a agência noticiosa Associated Press.

Segundo os procuradores federais alemães não há provas de que o suspeito que levou a cabo o ataque na passada sexta-feira fosse membro do grupo radical Estado Islâmico ou de qualquer outra organização terrorista, assim como aparenta não ter estado em contacto ou que tenha sido influenciado por um membro de um qualquer grupo terrorista.

Os procuradores indicaram ainda que o suspeito afirmou ter decidido enveredar por um estilo de vida de radical islâmico dois dias antes do ataque.

O suspeito, de 26 anos, foi rapidamente controlado por traseuntes e preso depois do ataque num supermercado em Barmbek, no estado alemão de Hamburgo, na passada sexta-feira.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG