Grécia. O careca que vende loção contra a calvície elege 10 deputados

Apresentador de televendas, promete curas milagrosas e um muro minado para afastar os imigrantes. Eleito eurodeputado, o ultranacionalista Kyriakos Velopoulos diz agora que vai fazer uma oposição responsável.

"Vamos ser uma oposição responsável e razoável", disse o líder da Solução Helénica na ressaca das eleições legislativas. Uma frase difícil de compreender, tendo em conta o currículo de Kyriakos Velopoulos. Aos 53 anos, o líder do partido é apresentador de televisão em part-time, vendedor de curas milagrosas e de cartas de Jesus Cristo.

Além disso, é um político com propostas controversas. Quer construir um muro minado para manter os imigrantes fora da Grécia e um referendo para reintroduzir a pena de morte para os condenados por tráfico de droga e pedofilia.

A Solução Helénica, partido de extrema-direita, obteve 3,7% e elegeu 10 deputados. Terá apelado ao eleitorado da Aurora Dourada, que em 2015 fora o terceiro partido mais votado, com 7% e 18 deputados, e agora ficou com menos de 3%, a barreira mínima para a eleição de parlamentares.

Velopoulos, ex-jornalista que fora militante da Nova Democracia e mais recentemente de outro pequeno partido de extrema-direita, LAOS, fundou a Solução Helénica, em 2016, uma mistura de ultranacionalismo, conservadorismo religioso e populismo.

"A Solução Helénica é um partido russo. É um passo importante no esforço da Rússia para exercer influência na Grécia e, de certa forma, é a vingança de Putin pelo acordo da Macedónia do Norte", afirmou o analista político George Gilson à Al Jazeera. O financiamento russo é negado pelo porta-voz de Velopoulos. "Vamos ao encontro dos interesses da Grécia onde quer que seja -- Rússia, Estados Unidos, China. Vamos logicamente para a Rússia cristã, mas não é uma coisa certa dada a atual aliança da Rússia com a Turquia", disse Vangelis Fanidis.

Velopoulos defende que a Europa deve permanecer cristã, e como tal a Grécia deve tomar medidas extremas para conter a migração. "Em primeiro lugar, eu colocaria um muro em Evros, com minas", disse Velopoulos sobre o rio que forma uma fronteira natural entre a Turquia e a Grécia. "Não quero saber do que diz a Europa. Protegerei as minhas fronteiras apenas por uma razão, porque estou em perigo devido à Turquia." Gregos e turcos têm um histórico de relações tumultuosas, com Chipre e o espaço aéreo à cabeça nos mais recentes anos, mas também no que respeita ao fluxo de migrantes e refugiados.

Advoga também que os traficantes de seres humanos ou de drogas, bem como os pedófilos sejam punidos com a morte, embora deixasse a decisão aos gregos, em referendo.

Cobrar direitos de autor por cada um dos artefactos gregos em museus de todo o mundo, e receber reparações da Alemanha pela Segunda Guerra são outras propostas de Velopoulos.

À Reuters, rejeitou a ideia de que o seu partido é uma versão mais suave do Aurora Dourada. "Ficaria orgulhoso se fosse responsável pelo fim dos nazis na Grécia", afirmou. Pelo menos ajudou a que não fossem eleitos para o Parlamento.

Sobre o resultado das europeias, no qual foi eleito eurodeputado com 4,2% de votos, reconheceu que foi inesperada. O homem que vende suplementos e pomadas que curam tudo, da calvície ao Alzheimer, explica-se: "Não aprendi a mentir, como todos os políticos, porque sou um homem de negócios."

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG