Giuliani junta-se a Trump para lidar com a investigação à ingerência russa nas eleições

O ex-prefeito de Nova Iorque será o apoio na investigação especial sobre a interferência da Rússia nas eleições de 2016. O objetivo é pôr fim ao processo o mais rapidamente possível

O ex-presidente da Câmara de Nova Iorque, Rudy Giuliani, juntou-se à equipa de advogados do Chefe de Estado norte-americano, Donald Trump, com a tarefa de lidar com a investigação especial sobre uma alegada interferência russa nas eleições americanas de 2016.

Segundo o jornal britânico The Guardian, Giuliani, que é amigo do presidente dos EUA, vai juntar-se ao executivo num momento particularmente difícil.

A nomeação foi anunciada em entrevista ao The Washington Post e vem acabar com a procura de Trump por um advogado, demanda que começou com a demissão de John Dowd, o anterior encarregado pela investigação da Rússia, no mês passado.

Na entrevista, Giuliani afirma que um dos principais objetivos neste cargo é o de conduzir as investigações do procurador especial, Robert Mueller, a um rápido fim.

A reputação de Rudy Giuliani foi cimentada há anos quando ainda era prefeito de Nova York, de 1994 a 2001. No entanto, foi o 11 de setembro que o registou para sempre, quando decidiu ajudar as pessoas no meio dos escombros das Torres Gêmeas

Giuliani disse ter aceitado o emprego porque espera poder "negociar" o fim desta tensão entre os EUA e a Rússia, "para o bem do país" e pela "grande consideração" que tem "pelo Presidente e por Rob Mueller". Acrescentando que iria estar ao lado de dois advogados seniores que trabalham com Donald Trump, Jay Sekulow e Ty Cobb.

Em comunicado, Jay Sekulow anunciou que mais dois elementos se juntariam à equipa, Jane e Marty Raskin.

O ritmo da investigação de Mueller aumentou, principalmente com a invasão recente do FBI aos escritórios e residências do advogado pessoal de Trump, Michael Cohen.

A reputação de Giuliani foi cimentada há anos quando ainda era prefeito de Nova York, de 1994 a 2001. No entanto, foi o 11 de setembro que o registou para sempre, quando decidiu ajudar as pessoas no meio dos escombros das Torres Gémeas. Essa ação levou-a a ganhar a alcunha de "prefeito da América".

Hoje, Rudy Giuliani é elogiado pela sua "tolerância zero" no que diz questão aos crimes e à desordem em Nova Iorque. Porém, a sua posição em relação às minorias é por vezes contraditória.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG