Gibraltar recusa pedido dos EUA para reter petroleiro iraniano

Os EUA emitiram entretanto vários pedidos para que o petroleiro fosse impedido de navegar, entre os quais um mandado emitido na sexta-feira pelo Departamento de Justiça para o arresto do navio e a apreensão da carga.

O Governo de Gibraltar recusou este domingo um pedido dos Estados Unidos para reter o petroleiro iraniano arrestado em julho e autorizado por um tribunal na quinta-feira a sair das águas territoriais do território britânico no sul de Espanha.

"Ao abrigo do Direito europeu, Gibraltar está impossibilitado de prestar a assistência pedida pelos Estados Unidos", que querem o arresto do petroleiro em virtude das sanções norte-americanas ao Irão, explicaram as autoridades gibraltinas num comunicado.

O petroleiro Grace 1 foi arrestado a 4 de julho por suspeita de transportar petróleo para a Síria, violando um embargo da União Europeia (UE), mas na quinta-feira o Supremo Tribunal de Gibraltar autorizou a sua libertação mediante garantias de Teerão de que os 2,1 milhões de barris que transporta não seriam entregues à Síria.

Os Estados Unidos emitiram entretanto vários pedidos para que o petroleiro fosse impedido de navegar, entre os quais um mandado emitido na sexta-feira pelo Departamento de Justiça para o arresto do navio e a apreensão da carga.

"O regime das sanções da União Europeia é fundamentalmente diferente do dos Estados Unidos", lê-se no comunicado. E a regulamentação europeia "proíbe especificamente aplicar determinadas leis americanas", acrescenta, incluindo as relativas às sanções ao Irão.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG