"Não somos estúpidos". General diz que pode recusar ordem "ilegal" de Trump

Os 'tweets' provocadores de Trump dirigidos a Pyongyang levantaram preocupações quanto a um ataque nuclear

O chefe do Comando Estratégico dos Estados Unidos afirmou que uma ordem do Presidente Donald Trump ou de qualquer um dos seus sucessores para lançar armas nucleares pode vir a ser recusada se for considerada ilegal.

O general da Força Aérea, John Hyten, chefe do Comando Estratégico dos Estados Unidos, disse no sábado, no Fórum Internacional de Segurança de Halifax, Nova Escócia, Canadá, que já pensou muito no assunto e que sabe perfeitamente o que faria caso recebesse uma ordem para avançar com um ataque ilegal.

"Acho que algumas pessoas pensam que nós somos estúpidos. Não somos estúpidos. Pensamos muito nestas coisas. Quando temos este topo de responsabilidades, como não pensar nestas coisas?", afirmou quando questionado acerca de um cenário desses. "Podia ir para a prisão o resto da vida", disse.

"Se é ilegal, adivinhe o que vai acontecer. Eu vou dizer: 'Senhor Presidente, isso é ilegal'. E adivinhe o que ele vai fazer? Ele vai dizer: "O que seria legal?", disse o general, citado pelas agências noticiosas.

"E vamos encontrar opções com uma combinação de capacidades para responder a qualquer que seja a situação, e é assim que funciona", acrescentou.

Na eventualidade de Trump decidir lançar um ataque nuclear, John Hyten diz que lhe proporcionaria opções de um ataque legal. O comando controlaria as forças nucleares numa guerra.

Os comentários do general surgem numa altura em que a ameaça de ataque nuclear da Coreia do Norte é uma preocupação séria, com os críticos de Trump a questionarem o temperamento do Presidente dos Estados Unidos.

Os 'tweets' provocadores de Trump dirigidos a Pyongyang levantaram preocupações principalmente entre os democratas do Congresso, de que o presidente norte-americano pode estar a incitar uma guerra contra a Coreia do Norte.

Durante o testemunho perante o Comité de Relações Exteriores no início deste mês, o general reformado Robert Kehler, que foi chefe do Comando Estratégico de janeiro de 2011 a novembro de 2013, também disse que as forças armadas dos EUA estão obrigadas a seguir ordens legais e não ilegais.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG