Frade responsável por escola do Atlético de Madrid acusado de abusos sexuais

O testemunho das alegadas vítimas põe em causa a versão de Briñas, de 88 anos, que admitiu ter abusado sexualmente de apenas uma vítima.

O responsável pela escola de formação do Atlético de Madrid, Manuel Briñas, está a ser acusado de abuso sexual. Quatro novas vítimas vieram denunciá-lo e dois deles descrevem o frade marianista e ex-responsável pela escola de formação do Atlético de Madrid durante duas décadas como um "predador".

O testemunho das alegadas vítimas, que se junta a um primeiro testemunho já conhecido, foi apresentado ao jornal El País e põe em causa a versão de Briñas, de 88 anos, que admitiu ter abusado sexualmente de uma vítima, alegando que fora um caso único.

Os abusos sexuais terão ocorrido ao longo das décadas de 1970 e 1980 no Colegio Hermanos Amorós de Madrid e nos acampamentos de verão que o frade organizava na serra de Gredos.

Os então rapazes e hoje adultos contaram ao El País que os abusos ocorriam principalmente em dois lugares: o vestuário do colégio, "em que ele dava massagens", e a chamada "enfermaria", uma tenda de campanha onde dormiam "as crianças que estavam doentes durante os acampamentos de verão".

A congregação Companhia de Maria anunciou ontem a abertura de uma investigação para apurar os factos. Depois de expressar o seu "choque e consternação", os Marianistas asseguraram em comunicado ignorar até agora os fatos, pediram desculpas à vítima e demonstraram a sua vontade de "conhecê-la e oferecer a sua ajuda", na medida das possibilidades.

"Estamos empenhados em esclarecer totalmente o que aconteceu pelo que vamos abrir uma investigação, respeitando a vontade das potenciais vítimas e o direito de presunção de inocência, e dependendo dos resultados tomaremos as medidas adequadas", afirmaram.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG