Filipinas sobrecarregadas com mangas devido ao El Niño

O preço do quilo passou de 98 para 42 cêntimos. Há produtores a oferecer sacos de fruta.

As Filipinas estão sobrecarregadas com milhões de mangas, depois de um período excecionalmente quente e seco, provocado pelo El Niño, que levou a um aumento anormal da produção. Só na ilha filipina de Luzon, conta o The Guardian, há um excedente de aproximadamente dois milhões de quilos de mangas.

Emmanuel Piñol, secretário da Agricultura, diz que os produtores desta fruta relataram um "aumento invulgar" na colheita, que atribuíram ao fenómeno meteorológico El Niño, caracterizado pelo aquecimento anómalo das águas superficiais do setor Centro-Leste do Oceano Pacífico - e que afeta o clima regional e global.

Com um clima bastante mais quente e seco, a produção disparou. De acordo com Piñol, o excesso de oferta fez com que o preço médio caísse de 58 pesos (98 cêntimos) para 25 pesos (42 cêntimos) o quilo.

Segundo o responsável pela área da Agricultura, é urgente encontrar medidas para lidar com o excesso de fruta, antes que esta seja desperdiçada ou que o preço desça ainda mais, o que seria bastante prejudicial para o agricultores que se dedicam à sua produção.

"Precisamos de fazer alguma coisa sobre isto nas próximas duas semanas", afirmou Emmanuel Piñol, citado pelo The Guardian.

Campanha Metro Manga

Para tentar que o excedente não apodreça, conta o jornal britânico, o Departamento de Agricultura lançou uma campanha de marketing - denominada "Metro Mango" - que visa vender pelo menos um milhão de quilos de manga na região de Manila, em barracas, durante o mês de junho.

Para atrair os compradores, as mangas frescas estão a ser vendidas entre os 25 e os 50 pesos por quilo, sendo que os preços mais baixos são para quem comprar a granel. Em média, cada manga pesa 200 gramas, pelo que, só em Luzon, haverá um excedente de aproximadamente 10 milhões de mangas.

Ainda no âmbito da mesma campanha de marketing, o Departamento da Agricultura criou aulas de culinária para ensinar as pessoas a cozinhar com a manga e promoveu um festival da manga, por estes dias, numa tentativa de fazer aumentar o interesse por esta fruta e, consequentemente, o seu consumo.

Em Luzon, a maior ilha das Filipinas, alguns produtores começaram a distribuir mangas gratuitamente para evitar que a fruta se estrague. Sem esperança de ganhar dinheiro com o excesso de produção, há produtores que colocam sacos cheios de fruta para oferecer à porta das fazendas.

Num comunicado publicado no Facebook, Emmanuel Piñol contou que uma empresa japonesa de importação de frutas anunciou que iria comprar 100 mil quilos de manga.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG