Filho mais novo de Trump foi infetado com covid-19 mas já testou negativo

Barron Trump, de 14 anos, não apresentou sintomas, ao contrário dos pais, como anunciou a primeira-dama Melania Trump.

O filho mais novo do Presidente dos Estado Unidos da América (EUA), o republicano Donald Trump, foi infetado com o novo coronavírus, tendo já testado negativo para a doença, anunciou esta quarta-feira a primeira-dama.

O anúncio de que Barron Trump, de 14 anos, foi infetado e esteve assintomático foi feito por Melania Trump, dá conta a Associated Press (AP).

A Casa Branca disse inicialmente que o filho mais novo do casal Trump tinha testado negativo à presença do SARS-CoV-2, depois de ter sido testado no início do mês quando os pais anunciaram que estavam contagiados.

"Naturalmente, eu pensei imediatamente no nosso filho", referiu Melania Trump. "Para nosso grande alívio, deu negativo", lembrou. Contudo, uma testagem subsequente confirmou que Barron Trump contraiu a covid-19. "As minhas preocupações tornaram-se realidade quando lhe fizeram novamente o teste e o resultado foi positivo", acrescentou, destacando que depois o filho testou negativo novamente. Ao contrário dos pais, Barron não apresentou sintomas.

No último sábado, o médico do chefe de Estado norte-americano, Sean Conley, disse que o presidente Trump já não corria o risco de contagiar terceiros.

"Esta noite [sábado], é com satisfação que anuncio que, além de o Presidente preencher todos os critérios para o fim em segurança do isolamento, à luz dos padrões atualmente reconhecidos, também já não corre o risco de transmitir [o vírus] a outras pessoas", afirmou Conley.

O médico de Trump referia-se aos critérios do CDC (Centros de Controle e de Prevenção de Doenças), principal agência federal norte-americana em matéria de saúde pública.

De acordo com o mesmo comunicado de Conley, novos testes mostraram que Trump "já não apresenta o índice de replicação ativa do vírus" e que a carga viral está "a diminuir".

O Presidente já não tem febre e os sintomas melhoraram, acrescentou o médico da Casa Branca, salientando que Trump ia continuar a ser acompanhado no regresso a um ritmo normal de atividade.

Hospitalizado durante três dias, Donald Trump regressou no sábado à campanha eleitoral para as presidenciais de 03 de novembro, com um discurso na Casa Branca, proferido perante várias centenas de apoiantes.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de um milhão e oitenta e sete mil mortos e mais de 38,2 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Os Estados Unidos são o país com mais mortos (215.914) e também com mais casos de infeção confirmados (mais de 7,8 milhões).

Atualizado às 22:53

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG